Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail


Leia mais...Um grupo de pessoas ficou ferido neste sábado (7) depois de terem sido atropeladas por um veículo que subiu na calçada diante do Museu de História Natural de Londres. A Polícia Metropolitana da capital britânica não confirmou se o episódio se trata de uma ação terrorista. O incidente ocorreu por volta das 10h20, horário de Brasília.

Por meio de imagens postadas nas redes sociais, é possível visualizar os danos materiais causados na calçada e arredores, além da presença de vários agentes armados e um helicóptero que sobrevoa a área, em pleno centro de Londres.

No Twitter, um vídeo foi publicado que mostra um homem sendo segurado por diversas pessoas, apontado como suposto responsável pelo atropelamento. A Polícia Metropolitana evacuou o museu e mandou fechar uma das estações de metrô da capital britânica próxima ao local depois do incidente.

Ainda não há informações de quantas pessoas ficaram feridas no atropelamento.

Leia mais...O Ministério das Relações Exteriores informou hoje (6) que, até o momento, não há registro de brasileiros entre as vítimas da tempestade tropical Nate, que atingiu a América Central. As autoridades seguirão acompanhando a situação por meio das embaixadas na Costa Rica, em Honduras e na Nicarágua, em coordenação com o núcleo de assistência a brasileiros, em Brasília.

“O Brasil expressa suas condolências às famílias das vítimas e votos de pronta recuperação aos feridos e manifesta solidariedade aos povos e governos desses países”, disse o Itamaraty, em nota.

Nate provocou estragos na América Central e deixou ao menos 25 mortes, ao passar por Honduras, Costa Rica e Nicarágua. Hoje, a tempestade avança sobre a província mexicana de Yucatán e pode se transformar em furacão de categoria 1, com ventos de até 150 quilômetros por hora, no mar do Golfo do México, antes de chegar à região de Nova Orleans e Lousiana, nos Estados Unidos na madrugada de amanhã (7).

Se realmente subir de categoria, Nate vai se tornar o 14° furacão da temporada deste ano no Oceano Atlântico.

Da Agência Brasil

Leia mais...O juiz Odilon de Oliveira, da 3ª Vara Federal em Campo Grande (MS), decretou hoje (5) a prisão preventiva do ativista italiano Cesare Battisti durante audiência de custódia realizada em Mato Grosso do Sul. O magistrado alegou “fortes indícios” de que o militante tentava sair do país com quantidade de moeda estrangeira superior ao permitido pela legislação brasileira, prática que configuraria crime de evasão de divisas.

Battisti foi detido ontem (4) na cidade de Corumbá, perto da fronteira entre Brasil e Bolívia, com US$ 6 mil dólares e € 1.300 euros. Pela lei brasileira, qualquer cidadão com mais de R$ 10 mil em qualquer moeda deve declarar o valor às autoridades competentes. O magistrado apontou ainda indícios de lavagem de dinheiro em relação aos valores carregados pelo italiano.

Odilon de Oliveira justificou também sua decisão por “concluir, ao menos em caráter provisório, que Cesare Battisti procurava se evadir do território nacional, temendo ser efetivamente extraditado”. Segundo o magistrado, os antecedentes do ativista são “gravíssimos” e “impõem a decretação da sua prisão preventiva”.

O juiz disse ainda que Battisti está em situação de refugiado e se dirigia a um país estrangeiro sem comunicar ao governo brasileiro. Essa iniciativa é proibida pela Lei 9.474, de 1997, sobre o Estatuto dos Refugiados. O artigo 39 da norma indica que a saída do território sem autorização prévia  é condição da perda do status de refugiado.

Esse foi o mesmo entendimento do Ministério Público Federal. Representantes da instituição solicitaram a prisão preventiva argumentando que os pedidos de extradição do governo italiano podem ter levado Battisti a tentar sair do país.

Defesa

A defesa do militante questionou os motivos para a decretação da prisão preventiva. No entendimento dos advogados, não há crime contra o sistema financeiro nem lavagem de dinheiro, uma vez que não há provas indicando uma origem ilícita do dinheiro que Battisti levava.

Os advogados, que já haviam entrado no mês passado com pedido no Supremo Tribunal Federal (STF) para evitar mudança na decisão de 2010, que garantiu a permanência no país e impediu a sua extradição (quando um governo entrega a outro país, a pedido, uma pessoa condenada ou suspeita de cometer um crime).

Hoje (5), a defesa enviou petição ao Supremo Tribunal Federal (STF), reiterando pedido de habeas corpus preventivo para que Battisti seja solto e não seja extraditado para a Itália.

Segundo notícias publicadas pelo jornal O Globo e pelo Portal G1, o governo italiano teria solicitado à nova gestão do governo federal a extradição do ativista. A Agência Brasil entrou em contato com a Embaixada da Itália no Brasil, mas não havia representantes disponíveis para comentar a prisão ou confirmar a informação do pedido de extradição. Ao jornal Corriere della Serra, o ministro da Justiça do país, Andrea Orlando, afirmou que o pedido “continua firme e que existem todas as condições do direito internacional para que ele [Battisti] seja alcançado”.

A Agência Brasil também entrou em contato com o governo federal sobre um possível processo de extradição de Battisti. O Ministério da Justiça não confirmou se recebeu pedido de extradição do governo italiano ou se há processo neste sentido. Segundo o órgão, uma informação sobre o assunto “poderá colocar em risco o sigilo de investigação ou procedimento em andamento, sem que as autoridades por eles responsáveis tenham autorizado”.

Entenda o caso

Militante do grupo Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), Cesare Battisti foi acusado nos anos 1970 de quatro assassinatos. Em 1979 fugiu para a França mas foi capturado e extraditado. Em 1988, foi condenado à prisão perpétua. O ativista escapou novamente para a França e chegou ao Brasil em 2004. Em 2007, foi preso no Rio de Janeiro mas teve a condição de refugiado político reconhecida pelo Governo Federal.

Em 2010, o Supremo Tribunal Federal aprovou a extradição do ativista à Itália, mas remeteu também a decisão final ao presidente da República. Luiz Inácio Lula da Silva, então no cargo, negou o envio de Battisti ao país natal. Frente à situação, a defesa do militante solicitou a sua libertação, enquanto o governo italiano requereu novamente a extradição.

Em junho de 2011, o STF voltou a analisar o caso e concedeu liberdade a Battisti. A maioria da Corte entendeu que não poderia interferir na decisão do presidente, pois se tratava de uma questão de soberania nacional. O Ministério das Relações Exteriores da Itália convocou o então embaixador no Brasil, Gherardo La Francesca, para explicações. O gesto é visto no meio diplomático como manifestação de descontentamento de um país com outro.

Em 2015, a juíza federal Adverci Rates Mendes, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, decidiu pela deportação de Battisti. A magistrada atendeu a uma ação do Ministério Público Federal segundo a qual o ativista não podia ter visto de permanência no Brasil por ter sido condenado por assassinatos na Itália. A Polícia Federal encontrou e prendeu o italiano na cidade de Embu das Artes (SP), mas o libertou em seguida. Em 2016, a defesa do militante solicitou ao STF um habeas corpus para evitar uma deportação ou uma extradição, pedido posteriormente negado pelo ministro Luiz Fux.

Da Agência Brasil

Leia mais...A Campanha Internacional para a Abolição das Armas Nucleares (ICAN, sigla em inglês) foi premiada, nesta sexta-feira, com o prêmio Nobel da Paz, anunciou o Comitê Nobel Norueguês, alertando sobre as "consequências humanitárias catastróficas" desses arsenais e pelos seus esforços para fazer um tratado que os proíbe. A informação é da agência EFE.

Esta união de associações que estende por 100 países foi uma "força motriz" e um "ator líder da sociedade civil" do movimento contra as armas nucleares e juntou esforços para "estigmatizar, proibir e eliminar" este tipo de armamento, diz a argumentação do prêmio.

O Comitê enfatizou o "sofrimento humano inaceitável" como um "argumento importante" para a proibição de armas e enfatizou que outras armas menos destrutivas, como as minas antipessoais, bombas de fragmentação e armas químicas e biológicas já foram proibidas por diferentes tratados.

O Nobel destacou que no dia 7 de julho deste ano, 122 países assinaram um tratado internacional contra a proliferação nuclear, mas lamentou que nenhum dos "países que têm armas nucleares, nem seus aliados" ratificaram, ainda que Estados Unidos, Rússia, Reino Unido, França e China tenham dado um primeiro passo neste sentido.

Este prêmio, acrescentou a decisão, é "também um apelo" a estes países para que iniciem "negociações sérias" para a eliminação das 15 mil "armas nucleares existentes em todo mundo".

A ICAN sucede, no prêmio, o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, que foi homenageado pelos seus "decididos esforços" para levar a paz ao seu país, após 52 anos de conflito armado. A decisão foi anunciada dias após o "não" vencer no referendo colombiano sobre os acordos com a guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

O anúncio deste ano foi a estreia da presidente do Comitê Nobel Norueguuês, Berit Reiss-Andersen, que assumiu o cargo após a morte de Kaci Kullmann Five, ex-líder conservadora norueguesa, em fevereiro deste ano.

O prêmio da Paz fecha os anúncios do Nobel esta semana, que foi aberto na última segunda-feira (2) com o de Medicina aos cientistas americanos Jeffrey C. Hall, Michael Rosbash e Michael W. Young, por descobrir os mecanismos do chamado relógio biológico.

Ontem (5) foi a vez da Literatura, que foi para o escritor britânico de origem japonesa Kazuo Ishiguro, reconhecendo a força "emocional" de seus romances. Na próxima segunda (9) será conhecido o vencedor do prêmio Nobel de Economia.

A entrega da premiação acontecerá no dia 10 de dezembro, aniversário da morte do fundador dos prêmios, Alfred Nobel, em uma dupla cerimônia na Câmara Municipal de Oslo, onde será entregue o da Paz, e no Konserthus, de Estocolmo, para o resto dos prêmios.

Da Agência Brasil via Agência EFE

Leia mais...As autoridades da Costa Rica informaram na quinta-feira (05) que subiu para oito o número de pessoas mortas por causa das chuvas provocada pela tempestade tropical Nate. Estão desaparecidas 17 pessoas e e 7 mil estão desabrigadas. A informação é da agência EFE.

A morte de oito pessoas, entre elas dois nicaraguenses e dois menores de idade, foi confirmada pelo Organismo de Investigação Judicial (OIJ).  A última vítima relatada é um jovem de 19 anos, identificado como José Vicente Chacón Aguilar, que faleceu após um deslizamento de terra em Altos de Naranjo, em Atenas, na Província de Alajuela, no centro da Costa Rica.

As autoridades indicaram que até o momento há 17 pessoas desaparecidas, e que 94 foram resgatadas pelas equipes de socorro.

O presidente da Comissão Nacional de Emergências (CNE), Ivan Brenes, disse em entrevista coletiva que foram registradas 2 mil ocorrências de inundações e deslizamentos. Os 7 mil desabrigados, que estão em 95 abrigos.

A tempestade, um dos piores desastres naturais dos últimos anos na Costa Rica, está deixando comunidades inteiras e comércios inundados, alguns na altura do telhado, e destruindo plantações, pontes e estradas.

O presidente da Costa Rica, Luis Guillermo Solís, decretou o estado de alerta nacional para agilizar a mobilização de recursos para atender as vítimas e pediu calma à população para que as ordens das autoridades sejam cumpridas.

"Temos uma saturação extrema dos solos, o que significa que, embora haja menos chuva, ainda pode haver efeitos. Segue o alerta vermelho em três quartos do país e alerta amarelo no Caribe", afirmou Solís.

Os relatórios das autoridades nacionais indicam que existem 500 mil pessoas sem serviço de água potável, 18,5 mil sem energia elétrica, 215 locais atingidos por deslizamentos de terras, quedas de árvores, danos em pontes, dos quais 44% deles foram atendidos.

"Todas as instituições de primeira resposta realizaram um esforço gigantesco durante todo dia para atender as pessoas. Não é em vão o trabalho que é feito, as instituições são coordenadas e agradecemos a comunidade pelos seus esforços", afirmou o presidente.

As regiões mais afetadas são as províncias de Guanacaste e Puntarenas, ambas no Pacífico, assim como Pérez Zeledón, na província de San José, onde diversas comunidades sofreram sérias inundações.

As aulas estão suspensas em todo o país e o governo liberou do trabalho todos funcionários públicos, com exceção daqueles que devem trabalhar nas equipes de emergência.

A tempestade Nate seguirá provocando fortes chuvas na Costa Rica, pelo menos até a manhã de sexta, de acordo aos prognósticos.

As chuvas associadas ao fenômeno natural deixaram pelo menos outros 15 mortos na região, 11 na Nicarágua, 3 em Honduras e 1 no Panamá, além de dez pessoas desaparecidas.

Da Agência Brasil via Agência EFE

Leia mais...O presidente da Costa Rica, Luis Guillermo Solís, declarou emergência nacional nesta quinta-feira (5) por causa das fortes chuvas e graves inundações causadas no país pela tempestade tropical Nate, que já deixou dois mortos e 5 mil desalojados.

"Assinaremos hoje uma declaração de emergência nacional para todo o nosso território para administrar de maneira mais rápida e eficiente os recursos", disse Solís em uma entrevista coletiva.

A nota oficial do governante indica que duas pessoas morreram em um deslizamento de terra ocorrido no centro do país e que há um número indeterminado de pessoas desaparecidas.

As províncias de Guanacaste (noroeste) e Puntarenas (sul), situadas no litoral do Oceano Pacífico, são as mais afetadas pelas inundações que ocorrem desde ontem, com numerosos transbordamentos de rios, muitas comunidades inundadas e estradas fechadas por deslizamentos.

O presidente da Comissão Nacional de Emergências (CNE), Iván Brenes, indicou que 80 abrigos foram habilitados em todo o país para receber os desabrigados, nos quais há mais de 5 mil pessoas, e que este número deve aumentar gradualmente durante o dia.

O governo costarriquenho também suspendeu as aulas em todo o país para hoje e amanhã, e declarou feriado para as instituições que não fazem parte dos trabalhos de socorro e dos atendimentos de emergência.

O relatório do Instituto Meteorológico Nacional (IMN) indica que a tempestade tropical Nate está situada em frente ao litoral caribenho da Nicarágua. O fenômeno seguirá provocando fortes chuvas na Costa Rica pelo menos até sexta-feira, por isso as autoridades mantêm o alerta vermelho para seis das sete províncias do país.

As projeções indicam que Nate se deslocará para o norte através do litoral caribenho da América Central e do México e pode se transformar em furacão no sábado.

Da Agência EFE via Agência Brasil

Leia mais...O Tribunal Constitucional espanhol suspendeu com uma medida cautelar a sessão plenária do Parlamento da Catalunha prevista para a próxima segunda-feira com objetivo de declarar a independência da região, após o referendo secessionista no domingo passado. A informação é da Agência Télam.

A suspensão feita pelo Tribunal Constitucional espanhol se deu em resposta a um recurso apresentado nesta quinta-feira (5) pelo Partido Socialista da Catalunha (PSC) antes da convocação do plenário.

O presidente do governo catalão, Carles Puigdemont, anunciou sua disposição em comparecer na próxima segunda-feira perante o plenário do Parlamento regional para avaliar os resultados e os efeitos do referendo com a declaração de independência da Catalunha sobre a mesa.

Embora a agenda do dia do Parlamento não mencione especificamente que o mesmo vá declarar a  independência , o CUP, um partido pró-independência de esquerda, disse que é intenção do plenário proclamar a independência catalã.

Da Agência Télam via Agência Brasil

Leia mais...As duas mulheres acusadas de envenenar Kim Jong-nam, meio-irmão do líder norte-coreano, Kim Jong-un, tinham rastros do agente neurotóxico VX em suas roupas, declarou nesta quinta-feira (05), durante o julgamento das mulheres, Raja Subramaniam, diretor do Centro de Armas Químicas da Malásia. A informação é da EFE.

O VX é um líquido oleoso incolor, sem cheiro e nem sabor, que leva tempo para evaporar, ataca o sistema nervoso e causa a morte. É considerado pelas Nações Unidas como uma arma de destruição em massa, e a sua produção e armazenamento foi proibida em 1993.

Subramaniam apontou que foram detectados rastros degradados do VX nas camisas das acusadas, a indonésia Siti Aisyah e a vietnamita Doan Thi Houng, únicas detidas pelo crime até agora.

O testemunho do especialista aconteceu na quarta audiência do processo, que será prorrogado, pelo menos, até o final de novembro e em que a promotoria chamará mais de 100 testemunhas com as quais pretende provar a "intenção de matar" das mulheres, afirma o jornal The Straits Times.

As duas acusadas, que se declararam inocentes durante a abertura do julgamento na última segunda-feira,  podem pegar a pena de morte se forem condenadas.

Histórico

No dia 13 de fevereiro, Kim Jong-nam estava prestes a viajar para Macau, onde residia no exílio, quando duas mulheres invadiram o terminal de saída do Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur e passaram o veneno no rosto dele.

A autópsia realizada pelos legistas malaios determinou que o cadáver continha resíduos do referido tóxico nos olhos, urina e sangue e em objetos pessoais. As duas acusadas afirmaram durante os interrogatórios que acreditavam estar participando de uma brincadeira em um programa de televisão e que o líquido utilizado era óleo para bebês.

A defesa questiona a exposição ao VX por parte das acusadas, já que nem elas e outras pessoas que tiveram contato direto com o corpo contaminado da vítima sofreram sintomas de envenenamento.

Elas falaram para as autoridades que um grupo de quatro homens, que supostamente orquestrou o incidente, pagou US$ 80 para cada uma para participar da ação que culminou com a morte de Kim.Os homens, que foram identificados como norte-coreanos pela polícia malaia, deixaram o país mo mesmo dia do assassinato e estão em um paradeiro desconhecido.

O tribunal se recusou a publicar as identidades e nacionalidades destas quatro pessoas, também acusadas pelo assassinato. Os serviços de inteligência da Coreia do Sul e dos Estados Unidos atribuíram o crime a agentes norte-coreanos.

Já Pyongyang sustenta que Kim morreu de um ataque cardíaco e acusa as autoridades malaias de conspirar com os seus inimigos, ao mesmo tempo que insiste em identificar a vítima como Kim Chol, nome que estava no passaporte da vítima.

Da Agência Brasil via Agência EFE

Leia mais...O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, evitou nesta quarta-feira (04), após uma visita ao hospital universitário onde estão internadas várias pessoas baleadas no massacre ocorrido na noite do último domingo em Las Vegas, debater o tema da venda de armas de fogo no país.

"Não falaremos hoje sobre a violência das armas. Isto foi obra de uma pessoa doente e demente", declarou Trump a jornalistas na saída do hospital, acompanhado da primeira-dama, Melania Trump.

"Quero destacar o trabalho dos profissionais que cuidaram das vítimas. Fizeram um trabalho indescritível. Não queremos ver algo assim novamente", ressaltou o presidente. "Estive com vítimas terrivelmente feridas. O que vi aqui é um tributo incrível ao profissionalismo de todas as pessoas. É incrível a valentia da polícia e de todas as pessoas que ajudaram os feridos. Me faz sentir orgulho", completou Trump.

O presidente também disse ter ficado feliz ao saber que a maioria das pessoas que está no hospital receberá alta nas próximas horas, dias ou semanas.

Trump também considerou como "excepcional" o trabalho da Polícia de Las Vegas e da equipe da SWAT que invadiu o quarto do hotel Mandalay Bay, usado pelo atirador Stephen Paddock para balear as pessoas.  "Ele foi localizado em 11 minutos. Fizeram um trabalho fantástico e salvaram muitas vidas", disse o presidente.

Trump evitou falar sobre leis que controlem a venda de armas nos EUA, apesar de ter reconhecido a bordo do Air Force One ontem que esse debate "talvez" seja aberto em algum momento.

Durante a campanha eleitoral de 2016, Trump recebeu apoio da Associação Nacional do Rifle, o maior grupo lobista contrário ao controle de armas nos EUA e que investe milhões de dólares para proteger a Segunda Emenda da Constituição, que garante ao cidadão americano o direito de portar armas.

Da Agência Brasil via Agência EFE

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757