Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail


Leia mais...O empresário Gabriel Dumar Lora, investigado no caso de corrupção envolvendo a construtora Odebrecht na Colômbia, se entregou nessa terça-feira (8) à Justiça colombiana, informou o Ministério Público do país.

Gabriel Dumar Lora é funcionário do consórcio Sion, empresa vinculada ao esquema de pagamentos iniciado pela multinacional Odebrecht a servidores públicos, acrescentou o MP colombiano em comunicado.

De acordo com a nota, Dumar Lora se apresentou nas instalações do Ministério Público, em companhia de seu advogado, se submeteu a exames médicos e foi interrogado.

Segundo as investigações na Colômbia, Gabriel Dumar é advogado e funcionário do consórcio Sion, uma das cinco companhias que teriam servido de intermediárias para o pagamento de propinas da Odebrecht.

Os valores pagos pela construtora no país chegam a US$ 27,72 milhões, e não a US$ 11,1 milhões, como divulgado inicialmente pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, de acordo com o Ministério Público colombiano.

Até o momento, foram detidos pelo caso Odebrecht na Colômbia o ex-vice-ministro de Transporte Gabriel García Morales, o ex-senador Otto Bula, o ex-assessor da Agência Nacional de Infraestrutura Juan Sebastián Correa, além dos representantes legais César Hernández e Gustavo Urrego.

Da Agência Brasil 

Leia mais...Os chanceleres e representantes de 17 países das Américas, reunidos em Lima, no Peru, afirmaram nessa terça-feira (9) que não vão tolerar golpes militares e que apoiarão as instituições democráticas da Venezuela, acrescentando que desconhecem a Assembleia Constituinte instalada sexta-feira passada (4). A informação é da Agência EFE.

Em reunião na capital peruana para discutir a crise na Venezuela, o chanceler chileno, Arauto Muñoz, disse que seu país "não aceita golpes militares, autogolpes ou levantes militares".

"Queremos que se restabeleça a ordem democrática, por meio de uma negociação crível, sincera, com efeitos reais", declarou Muñoz. Para ele, "há vontade de contribuir para uma saída negociada pelos próprios venezuelanos para que definam seu futuro".

O secretário de Relações Exteriores do México, Luis Videgaray, destacou o respaldo do grupo ao Parlamento venezuelano, de maioria opositora, e insistiu que os atos jurídicos, como contratos e financiamentos internacionais, que o governo venezuelano solicitar só serão reconhecidos quando forem aprovados pela assembleia. "Essa medida valida nossa postura a favor das instituições democraticamente eleitas na Venezuela".

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes, afirmou que não se pode "admitir a continuidade desse horror" na Venezuela, ao comentar a suspensão do país do Mercosul, por tempo indeterminado, aprovada pelo bloco no último fim de semana.

A chanceler do Panamá, Isabel de Saint de Malo, destacou que esse grupo de países, que se reuniu em Lima, não deixará o povo venezuelano sozinho. "Estaremos vigilantes pelo retorno à democracia e vemos com bons olhos a decisão de seguir de perto a situação".

Participaram da reunião em Lima representantes de Brasil, da Argentina, do Canadá, Chile, da Colômbia, Costa Rica, Guatemala, de Honduras, México, do Panamá, Paraguai e Peru, entre outros.

Da Agência Brasil via Agência EFE

Leia mais...O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, advertiu nesta terça-feira (8) à Coreia do Norte que poderia responder às suas ameaças com "um fogo e uma fúria nunca vistos no mundo", após a divulgação  de um relatório da Agência de Inteligência de Defesa dos EUA pelo jornal The Washington Post segundo o qual que Pyongyang fabricou uma ogiva nuclear reduzida que pode ser colocada em um dos seus mísseis balísticos. A informação é da EFE.

"É melhor que a Coreia do Norte não faça mais ameaças aos Estados Unidos. Encontrarão (como rsposta) um fogo e uma fúria nunca vistos no mundo", disse Trump em declarações a jornalistas em  Nova Jersey.

Da Agência EFE via Agência Brasil

Leia mais...O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids) e a organização Mediaplanet lançaram uma nova campanha para chamar a atenção para a saúde materna no mundo. O objetivo é promover estudos que afetam grávidas e mães e colher ideias dos provedores de serviços de saúde e de ativistas do setor. A informação é da ONU News.

O diretor-executivo da agência da ONU, Michel Sidibé, disse que "é preciso reforçar a interface entre os provedores de serviços de saúde e a população, para melhor monitorar o que acontece em cada comunidade". Ele disse que dessa forma será possível assegurar que as grávidas tenham acesso a serviços de saúde e que possam ser monitoradas não somente em relação à Aids mas para todas as questões de saúde.

De acordo com o último relatório do Unaids, cerca de 76% das grávidas com HIV tiveram acesso a medicamentos antirretrovirais em 2016, bem mais do que os 47% de 2010. Com os objetivos 90-90-90, as Nações Unidas querem que 90% das pessoas com HIV sejam diagnosticadas, 90% delas recebam tratamento antirretroviral e que desse grupo 90% de pessoas tenham a infecção suprimida até 2020.

Os cinco países onde o problema é mais grave - África do Sul, Botsuana, Namíbia, Suazilândia e Uganda - conseguiram atingir o objetivo de fornecer diagnóstico e remédios antirretrovirais a 95% das gestantes e mulheres que estão amamentando e que vivem com HIV.

Sidibé disse que "as autoridades devem garantir que mulheres e meninas tenham acesso a informação mais cedo e também devem dar a elas as habilidades necessárias para que possam lidar com sua própria sexualidade de uma forma mais empoderada".

O Unaids alerta que as doenças relacionadas à Aids continuam sendo a principal causa de morte entre mulheres em idade reprodutiva, entre 15 e 49 anos no mundo.

Da ONU News 

 

Leia mais...A tempestade tropical Franklin tocou a terra na noite dessa segunda-feira, às 22h45 locais (0h45 de terça-feira em Brasília) no estado de Quintana Roo, na Península de Yucatán, no Sudeste do país, informou o Serviço Meteorológico Nacional (SMN).

O Sistema Nacional de Defesa Civil mantém o alerta vermelho (perigo máximo) para as regiões central, leste, sul e oeste de Quintana Roo; alerta laranja (perigo alto) para Yucatán, norte de Quintana Roo, centro, sudeste, leste e norte de Campeche, e alerta amarelo (perigo moderado) para as regiões sul e sudoeste de Campeche, e sudeste e leste de Tabasco.

O olho da tempestade tocou a terra com ventos máximos de 95 quilômetros por hora (km/h) e rajadas de 110 km/h, informou o SMN em seu último boletim emitido na madrugada de hoje.

O sistema se desloca em direção ao oeste-noroeste, a 22 km/h e provocará tempestades torrenciais nas próximas horas em regiões de Quintana Roo, e tempestades intensas em partes de Yucatán, Campeche, Tabasco e Chiapas.

De acordo com as previsões, Franklin atravessará a Península de Yucatán e, às 19h locais desta terça-feira (meia-noite em Brasília) estará nas águas do Golfo do México, onde amanhã se transformará em furacão de categoria 1.

Da Agência Brasil

Leia mais...O novo procurador-geral da Venezuela, Tarek Saab, disse nesta segunda-feira (7) que buscará "restabelecer a paz cidadã" e que promoverá a justiça com equidade, ao mesmo tempo em que apontou que sua antecessora no cargo, Luisa Ortega Díaz, foi "cúmplice" da violência no país. A informação é da EFE.

"Assumimos esta nova função com o maior grau de responsabilidade na busca do equilíbrio (...) para promover a justiça com equidade, os direitos humanos e fazer um grande esforço; contribuir com um grão de areia para restabelecer a paz cidadã", declarou Saab em uma coletiva de imprensa no Ministério Público (MP).

Saab indicou que "a função do MP nesta nova etapa será "melhorar" e "avançar", bem como recuperar a "credibilidade da instituição", que, em seu julgamento, se perdeu nos "últimos tempos".Nesse sentido, o novo procurador-geral destacou que sua antecessora foi "cúmplice" da violência no país durante os últimos quatro meses, quando se desenvolveu uma onda de protestos contra o governo do presidente Nicolás Maduro.

"Estou convencido de que essa atitude que teve a senhora ex-procuradora atentou contra a paz da República. Desde [que ela fez] a primeira declaração em 31 de março desse ano (quando declarou a ruptura da ordem constitucional) até a mais recente que deu antes de converter-se em ex-procuradora geral", afirmou.

Segundo Saab, cada declaração de Luisa Ortega durante esse tempo causou "um grave dano à institucionalidade democrática" do país e “colocou em perigo a paz cidadã. Quando o país buscava um ponto de acordo aparecia a senhora ex-procuradora para praticamente tingir o país de sangue, de gasolina", lamentou.

A Venezuela vive desde abril uma série de manifestações a favor e contra o governo, que já deixaram 121 mortos, situação que se aguçou desde a instalação da Assembleia Constituinte na sexta-feira passada, que não é reconhecida pela oposição e por vários governos e organismos internacionais.

Da Agência EFE via Agência Brasil

Leia mais...Um médico que criou uma técnica para gerar embriões com o DNA de três pessoas e evitar certas doenças genéticas está sendo investigado pelo governo dos Estados Unidos. A Food and Drugs Administration (FDA), órgão que regula medicamentos e alimentos no país, enviou uma carta ao Dr. John Zhang alertando que ele deve parar de realizar o tratamento porque a técnica não é regularizada no território americano. A informação é da EFE.

Zhang e sua equipe da clínica de fertilidade New Hope ficaram famosos no ano passado após o nascimento do primeiro bebê do mundo com o DNA de três país, resultado de um controverso método de reprodução assistida que permite que genitores com mutações genéticas raras possam ter filhos totalmente saudáveis.

No caso desse bebê, o médico utilizou o DNA do pai, da mãe e de uma doadora para evitar que a mãe transmitisse ao filho os genes da chamada Síndrome de Leigh, uma desordem mortal que afeta o sistema nervoso em desenvolvimento. Ela já tinha perdido dois filhos por causa da doença.

Como as autoridades americanas não aprovaram legalmente o método, a equipe de Zhang viajou para o México para realizá-lo, porque lá a nova técnica não estaria sujeita à regulação. Após o nascimento do bebê, os especialistas divulgaram suas descobertas.

A FDA explicou a Zhang que o tratamento, que utiliza uma técnica de substituição mitocondrial, é proibido pelo Congresso por criar embriões modificados geneticamente. A Food and Drugs Administration também afirmou que a clínica do médico promove o método como uma maneira de os pais se livrarem de doenças mortais que poderiam ser passadas aos filhos.

Na carta, a FDA recrimina o Dr. Zhang por continuar "comercializando" a técnica para tratar a infertilidade, mesmo tendo se comprometido a não utilizá-la em território americano.

O órgão acrescentou na carta um artigo divulgado pela própria equipe de Zhang, no qual os médicos afirmam que os embriões tinham sido criados nos EUA, mas implantados fora das fronteiras do país. Por esse motivo, a FDA pediu que o especialista comunique os passos que serão tomados para lidar com a violação e evitar a repetição. Caso Zhang não faça mudança, o órgão poderá multá-lo.

Da Agência EFE via Agência Brasil

Leia mais...A Coreia do Norte condenou nesta segunda-feira (07) as novas sanções adotadas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas e ameaçou com represálias os Estados Unidos se o país mantiver a sua política "hostil".

"Cobraremos o preço devido aos Estados Unidos pelo seu odioso crime contra a nossa nação e o nosso povo", diz texto publicado pela agência estatal norte-coreana Kcna.

No documento, o regime da Coreia do Norte considera que as sanções aprovadas no sábado passado constituem uma violação da sua soberania e do seu direito ao desenvolvimento.

"Faremos uma ação justa e decisiva (contra os Estados Unidos) tal e como já advertimos", diz o texto. Os 15 países do Conselho de Segurança adotaram - por unanimidade - no último sábado resolução que levou um mês de negociações e resultou em sanções que representam US$ 1 bilhão.

Da Agência Brasil

Leia mais...O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou neste sábado que as sanções aprovadas pelo Conselho de Segurança da ONU contra a Coreia do Norte terão "um impacto financeiro muito grande".

"O Conselho de Segurança das Nações Unidas acaba de votar e sancionar a Coréia do Norte. China e Rússia votaram conosco. Impacto financeiro muito grande!", escreveu Trump em sua conta pessoal da rede social Twitter.

"A resolução das Nações Unidas é o maior pacote único de sanções adotadas contra a Coreia do Norte. Cerca de 1 bilhão em custo para a Coreia do Norte", acrescentou Trump, que hoje desfrutou de seu primeiro dia completo de férias no seu luxuoso clube de golfe de Bedminster (Nova Jersey), onde passará duas semanas.

Trump tuitou depois que o Conselho de Segurança aumentou a pressão sobre a Coreia do Norte com vetos a vários setores da sua economia e emitiu uma mensagem de unidade frente a ameaça "global" que representa seus ensaios com mísseis.

Os 15 países do organismo adotaram por unanimidade uma resolução que há um mês era negociada e que reduz em US$ 1 bilhão por ano os investimentos que o regime de Pyongyang obtém com suas exportações.

Concretamente, o texto inclui o veto às exportações de carvão, de ferro, chumbo e mariscos.

Todos os países deverão garantir que suas empresas e cidadãos não adquiram estes produtos da economia norte-coreana e cujos investimentos, segundo o Conselho de Segurança, são "utilizados para financiar programas ilícitos".

"A Coreia do Norte deve perceber que a comunidade internacional falou com uma só voz, que tem a chance de parar seu comportamento temerário e irresponsável", informou a embaixadora americana na ONU, Nikki Haley, em referência à sua atividade armamentista.

Da Agência EFE

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757