Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Leia mais...Estudo divulgado nesta quinta-feira (22) pela Editora Elsevier, considerada referência em produção científica no mundo, revela que Brasil e Portugal têm os maiores percentuais de participação feminina na produção científica dos países: 49%, considerando o quinquênio 2011-2015. No caso brasileiro, houve um crescimento significativo na comparação com 1996-2000, quando 38% da pesquisa do país era feita por mulheres.

O estudo Gender in the Global Research Landscape (Gênero no Cenário Global de Pesquisa, em tradução livre) mede o desempenho da pesquisa e representação de gênero em 12 países ou regiões geográficas (somente a Comunidade Europeia tem 28 países) e 27 disciplinas.

“O Brasil evoluiu bem em termos de presença feminina na pesquisa científica. No primeiro quinquênio pesquisado, já havia uma participação importante e nesse último quinquênio, a participação feminina pulou para 49%, colocando o Brasil em primeiro lugar junto com Portugal”, disse o vice-presidente de Relações Acadêmicas para a América Latina da Elsevier, Dante Cid.

Segundo ele, a participação das mulheres na pesquisa científica tem crescido em todas as regiões analisadas. No Brasil, está “praticamente com empate técnico” em relação aos homens, que aparecem com 51%. Nesse último quinquênio, o país que ficou mais abaixo em termos de participação feminina foi o Japão (20% contra 80% de presença masculina), embora o número de pesquisadoras tenha evoluído em comparação ao quinquênio analisado anteriormente (15%). “Mas ainda é bastante baixo por questões culturais, profissionais locais. Já o Brasil está conseguindo equilibrar bastante essa questão.”

Entre 1996 e 2000, nos 12 países ou regiões estudados, apenas em Portugal o percentual de participam mulheres na produção científica superava 40% do total. Já no período 2011-2015, nove países ou regiões mostraram participação de pesquisadoras igual ou superior a 40% (Austrália, Brasil, Canadá, Dinamarca, União Europeia, França, Portugal, Reino Unido e Estados Unidos). De acordo com o estudo, apenas Chile, México e Japão têm participação de mulheres na produção científica abaixo desse percentual.

Disciplinas

A análise feita por disciplinas revela que a presença feminina na pesquisa científica é muito maior que a masculina no Brasil em áreas ligadas à saúde, como medicina, bioquímica, genética, odontologia e enfermagem. Já os homens são maioria nas ciências exatas, entre as quais engenharia, física, computação, energia e ciências econômicas.

Segundo Dante Cid, entre as pesquisadoras da base de dados da Elsevier, 24% se dedicam à medicina; entre os homens, esse percentual é de 17%, ou 80,6 mil mulheres e 65 mil homens, em números absolutos.

Por causa desse perfil, o representante da Elsevier calcula que no próximo quinquênio a ser analisado, a participação de mulheres na produção científica brasileira deve ultrapassar de homens, em especial na área de saúde. “É muito possível que o percentual de mulheres no futuro próximo venha superar o dos homens." 

De acordo com a diretora da Academia Brasileira de Ciências (ABC), a doutora em física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Márcia Barbosa,  a menor presença feminina na área das ciências exatas é um fenômeno mundial. “Eu descobri que era um ET[extraterrestre] no primeiro dia na faculdade de física”, lembrou. Dos 40 alunos no curso, segundo ela, quatro eram mulheres, mas apenas ela se formou.

Para a pesquisadora, as origens da baixa participação das mulheres nas áreas exatas está relacionada à maneira como se educam e ensinam as crianças, que associam desde pequenas máquinas e equipamentos a atividades masculinas, ao passo que as mulheres são ensinadas a ser mais sociais e a não serem vistas como “nerds”, pessoas muito dedicadas aos estudos.

Patentes

O estudo constatou também que a presença feminina em relação a patentes é muito baixa no mundo inteiro. “Não chega a 20%”, destacou Cid. O país que tem presença maior feminina neste setor é Portugal, com 26%. O Brasil aparece em segundo lugar, com 19%, contra 11% no quinquênio anterior, superando países como França (17%), Estados Unidos (14%), Reino Unido (12%), Austrália (12%).

Igualdade

Na avaliação da diretora da ABC , o crescimento da participação feminina nas publicações científicas é um bom sinal para as pesquisadoras brasileiras.

“Significa que as coisas, lentamente, estão melhorando, mas, ao mesmo tempo, ainda não refletiu no poder. A gente está em igualdade de posições entre as pesquisadoras, mas o grande desafio é tentar manter essas pesquisadoras no mercado de trabalho, na medida em que avançam na carreira”, ponderou.

Segundo Márcia, é preciso estimular a presença e permanência de mulheres na produção científica. “Ter mais diversidade, pessoas com culturas diferentes, traz ideias novas para o ambiente de trabalho”, destacou. “O que a gente precisa fazer agora é manter essas mulheres no ambiente de pesquisa, viabilizando que elas possam crescer na carreira”, acrescentou.

Da Agência Brasil

Leia mais...Pelo menos 20 pessoas morreram, a maioria civis, e 55 ficaram feridas em um atentado suicida ocorrido nesta quinta-feira, com um carro-bomba, na entrada de uma agência bancária no Sul do Afeganistão.

O porta-voz do governador provincial, Omar Zwak, disse à Agência EFE que a ação contra uma filial do Banco de Cabul, em Lashkargah, capital da província de Helmand, que deixou mais de 20 mortos, a maioria civis, além de membros das forças de segurança, ocorreu por volta das 12h (horário local, 4h em Brasília).

De acordo com Zwak, o número de mortos pode aumentar nas próximas horas, pois as vítimas ainda estão sendo retiradas do local do atentado.

O porta-voz explicou que o autor do atentado tentou se aproximar com o veículo o mais perto possível da agência bancária, mas ao ser descoberto pelos seguranças detonou os explosivos.

Um oficial da administração local, que pediu anonimato, afirmou que no banco estavam muitos integrantes das forças de segurança, pois foram ao local para retirar seus salários antes do fim do Ramadã, que acontecerá nos próximos dias.

Nenhum grupo reivindicou ainda a autoria do atentado.

Este é o segundo ataque recente contra uma filial do Banco de Cabul - o primeiro ocorreu no fim de maio na província de Paktia, deixando sete mortos e 31 feridos.

Da Agência EFE

Leia mais...As autoridades britânicas não revisarão a situação de imigração das pessoas afetadas pelo incêndio em um edifício residencial de Londres, anunciou nesta quinta-feira (22) a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May. O incêndio, ocorrido na semana passada na Tosse Grenfell, deixou 79 mortos ou desaparecidos. A informação é da Agência EFE.

A chefe do Governo anunciou a decisão na Câmara dos Comuns, diante da possibilidade de alguns moradores estrangeiros da Torre Grenfell estarem em situação irregular.

Theresa May também informou que cada adulto que morava no edifício da região oeste de Londres está recebendo 500 libras (cerca de 565 euros) em dinheiro, contribuições que as vítimas não terão que devolver ao governo.

Da Agência EFE

Leia mais...O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, nomeou nessa quarta-feira (21) como novo ministro das Relações Exteriores o embaixador do país na Organização dos Estados Americanos (OEA), Samuel Moncada. Ele vai substituir Delcy Rodríguez, que deixa o cargo para se candidatar a integrante da Assembleia Nacional Constituinte, convocada recentemente. A informação é da Agência EFE.

Em rede obrigatória de rádio e televisão, Maduro afirmou que convocou o vice-ministro para a América do Norte e embaixador na OEA, Samuel Moncada, para que assuma a chancelaria a fim de "manter a verdade da Venezuela" no mundo.

Rodríguez estava no cargo desde dezembro de 2014. Agora, ela se apresentará como candidata a ajudar na redação da nova Constituição e, por lei, deve deixar o ministério.

No dia 1º de junho, Maduro anunciou que Rodríguez e a primeira dama Cilia Flores seriam candidatas à Assembleia Constituinte.

Rodríguez, que não esteve presente na reunião de ministros presidida hoje por Maduro, está em Cancún, onde os chanceleres dos países-membros da Organização de Estados Americanos (OEA) fazem assembleia para discutir a crise na Venezuela. Eles ainda não fecharam acordo sobre o país caribenho.

Maduro destacou o trabalho de Rodríguez à frente da Chancelaria venezuelana. "A chanceler, que tem que sair para ser candidata à Assembleia Nacional Constituinte, merece o reconhecimento de todo o país porque defendeu como uma tigresa a soberania, a paz e a independência da Venezuela", afirmou.

Da Agência EFE

Leia mais...O Ministério Público Federal da Bélgica anunciou nesta quinta-feira (22) a detenção de quatro pessoas, que teriam relação com o autor do atentado frustrado da última terça-feira (20), em uma estação de trem de Bruxelas.

As prisões ocorreram em quatro ações feitas nas comunas de Koekelberg, Molenbeek e Anderlecht, disse o Ministério Público em comunicado.

Todos serão apresentados ao juiz, que vai decidir, depois do depoimento deles, se ficarão em prisão provisória.

As autoridades belgas não deram mais informações para não prejudicar a investigação. Na noite de terça-feira, um homem de 36 anos e nacionalidade marroquina tentou detonar uma mala com explosivos caseiros na Estação Central de Bruxelas e foi morto por militares.

Da Agência EFE

Leia mais...O vice-presidente do Equador, Jorge Glas, pediu nesta quarta-feira (21) que se investigue a presença histórica da Odebrecht no país e os supostos subornos da empresa, que ele acusou de ser "uma máfia organizada". Em discurso perante a Comissão de Controle na Assembleia Nacional, Glas pediu que "se examine tudo e a todos, não só agora". A informação é da agência EFE.

"A fé pública demanda que se examine 40 anos atrás. De onde surgiram fortunas de determinados atores, e alguns deles, inclusive agora são atores políticos", disse o vice-presidente em uma sessão que foi transmitida por rádio e televisão.

Glas acrescentou que "se fala de quase US$ 800 milhões em pagamentos corruptos por parte da máfia da Odebrecht, porque já não podemos falar da empresa Odebrecht, é uma máfia organizada em 12 países".

Ao apresentar uma lista de projetos nos quais a construtora brasileira participou no Equador, lembrou que esta não chegou ao país no governo de Rafael Correa, que liderava o projeto chamado "Revolução Cidadã", mas em 1987, razão pela qual insistiu que "tudo tem que ser investigado".

Em dezembro do ano passado, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos indicou que a Odebrecht tinha supostamente pago US$ 788 milhões em subornos em 12 países da América Latina e da África.

O relatório dos EUA detalhou que, no caso do Equador, entre 2007 e 2016 a construtora supostamente pagou subornos de mais de US$ 35,5 milhões a "funcionários do governo", o que supostamente lhe gerou benefícios de mais de US$ 116 milhões.

Até agora, a polícia do Equador deteve para investigações cinco pessoas em relação com o caso Odebrecht, e outra está em detenção domiciliar. Nesse sentido, o vice-presidente disse que foi "tremendamente duro" saber da detenção de um tio seu, agora em detenção domiciliar por ter mais de 65 anos.

Glas, que pediu para ir à Comissão de Controle para expor sua versão sobre o caso e responder aos opositores que pretendem vinculá-lo à Odebrecht, disse que falava "como cidadão, que se viu confrontado desde outubro do ano passado com uma campanha de destruição de imagem orquestrada, programada com apoio de certos meios de comunicação".

O vice-presidente, que foi reeleito para o cargo nas eleições do último mês de abril, assegurou que "não há uma só prova (...) absolutamente nada", contra ele.

Da Agência EFE via Agência Brasil

Leia mais...Novas projeções demográficas da ONU apresentadas nesta quarta-feira (21) mostram que a população mundial chegará a 8,5 bilhões até 2030, um aumento de 1 bilhão de pessoas em 13 anos. A organização fez uma atualização de seus cálculos que confirma as tendências apontadas no último relatório deste tipo, publicado em 2015. As informações são da agência EFE e da ONU News.

As Nações Unidas esperam que a população mundial aumente até aproximadamente 9,8 bilhões pessoas em 2050 e que, para 2100, o mundo tenha quase 11,2 bilhões de habitantes. Os dados constam do relatório Perspectivas da População Mundial: Revisão de 2017, lançado hoje pelo Departamento dos Assuntos Econômicos e Sociais da ONU.

Mais da metade do crescimento populacional entre hoje e 2050 se concentrará em nove países: Índia, Nigéria, República Democrática do Congo, Paquistão, Etiópia, Tanzânia, Estados Unidos, Uganda e Indonésia.

Entre os dez países mais populosos do mundo, a Nigéria é onde a população cresce a um ritmo mais forte. Atualmente o sétimo país por população, as projeções dizem que a Nigéria superará os EUA como o terceiro país mais populoso antes de 2050.

Brasil, China e Índia

O relatório da ONU revela que, no Brasil, o crescimento demográfico será mais lento devido às taxas de fertilidade, que baixaram em quase todas as regiões do mundo. O Brasil está entre os 10 países que registraram menor fertilidade em relação ao nível de reposição entre 2010 e 2015.

Enquanto isso, a Índia - que atualmente tem 1,3 bilhão de habitantes ou 18% da população mundial - passará em aproximadamente sete anos a China - que agora tem cerca de 1,4 bilhão de habitantes - como o país mais populoso do planeta.

Apesar da população do mundo seguir aumentando, isso acontecerá a um ritmo mais lento do que nos últimos anos devidos a uma redução da taxa de fertilidade em praticamente todas as regiões, inclusive em lugares onde segue sendo muito alta, como na África.

De fato, nos últimos anos a Europa foi o único continente onde o número de filhos por mulher aumentou, passando de 1,4 no período 2000-2005, para 1,6 no período 2010-2015. Apesar isso, a Europa será a única região onde o número de habitantes se reduzirá entre 2017 e 2030, passando de 742 milhões para cerca de 739.

Em comparação, a população da África aumentará nesse período, passando de 1,256 bilhão para cerca de 1,7 bilhão e a da Ásia de 4,5 bilhão para 4,94 bilhão.

* Com informações da ONU News

Da Agência Brasil

Leia mais...Os bombeiros já controlaram 95% do incêndio que começou no sábado em Pedrogão Grande, o mais fatal da história de Portugal com pelo menos 64 mortos, e lutam agora para extinguir os 5% restantes, que "têm um grande potencial de risco". As informações são da agência de notícias EFE.

Segundo o último balanço anunciado pelo comandante de Proteção Civil de Portugal, Vitor Vaz Pinto, o fogo que ainda falta controlar equivale a uma extensão de 20 quilômetros se estivesse em uma linha reta.

O que há no momento, explicou, são "focos repartidos" em zonas de "difícil acesso" nas quais estão trabalhando mais de 1,2 mil bombeiros, entre eles, 40 militares da Espanha. Pinto remarcou que a sensação dos bombeiros é "otimista" com relação ao incêndio de Pedrogão Grande. Trinta mil hectares foram afetados pelas chamas.

Com relação às vítimas, as autoridades atualizaram o balanço, que subiu para 179, número ao qual se somam outros 25 feridos em outro incêndio que atinge o município de Góis - situado a 40 quilômetros ao norte -, onde permanecem ativos dois focos. Os bombeiros que trabalham em Góis se mostraram hoje otimistas no combate às chamas.

Da Agência EFE

Leia mais...O inverno no Hemisfério Sul começou nesta quarta-feira (21) à 1h24. A estação, que segue até 22 de setembro às 17h02, é marcada por um período menos chuvoso nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e na maior parte do Norte do país. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), neste ano, as chances de ocorrência do fenômeno El Niño diminuíram no último mês. Mesmo que haja confirmação do fenômeno, ele será de baixa intensidade.

O período também se caracteriza pela chegada de massas de ar frio, procedentes do Sul do continente, que derrubam as temperaturas. Essa queda pode provocar formação de geadas no Sul, Sudeste e em Mato Grosso do Sul; neve nas áreas serranas e de planalto no Sul do país; e friagem em Rondônia, no Acre e sul do Amazonas.

Estradas e aeroportos devem sofrer impactos pela formação de nevoeiros e/ou névoa úmida nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste que reduzem a visibilidade no período da manhã. Com a redução das chuvas, diminui a umidade do ar, que favorece o aumento de queimadas e incêndios florestais, assim como a ocorrência de doenças respiratórias.

Regiões

Na região Centro-Oeste, o período seco já começou. A tendência é de que a umidade relativa do ar nos próximos meses fique abaixo de 30%, com picos mínimos abaixo de 20%. No Distrito Federal, por exemplo, que já enfrenta racionamento de água, a situação pode piorar. As chuvas devem ficar entre normal e abaixo da média no inverno. O período seco deve vir acompanhado de temperaturas médias acima do normal, devido à permanência de massa de ar seco e quente, especialmente entre agosto e setembro.

O tempo seco também será uma característica da Região Sudeste para os meses de inverno, especialmente em Minas Gerais. A previsão do Inmet indica que as chuvas devem permanecer dentro do esperado para o período, exceto São Paulo e o sul do Rio de Janeiro, que podem ter chuvas acima do esperado. As temperaturas devem permanecer acima da média em grande parte da região, mas, em alguns pontos, massas de ar frio podem provocar declínio acentuado da temperatura e formação de geada.

No Sul do país, foram registradas chuvas acima da média no outono. O volume máximo ocorreu no noroeste do Rio Grande do Sul. Na segunda quinzena de abril, houve intenso resfriamento, com  temperaturas abaixo de zero. De acordo com o Inmet, na segunda semana de junho, nevou na serra catarinense, devido a forte massa de ar de origem polar.

O Paraná, Santa Catarina e o nordeste do Rio Grande do Sul devem ter chuvas acima da média. O aumento de frentes frias vai contribuir para maiores variações de temperatura ao longo dos próximos três meses. Mesmo assim, elas se mantêm de normal a abaixo da média, o que favorecerá as geadas, mas, segundo o órgão de meteorologia, devem menos intensas do que em 2016. “Novos episódios de neve podem ocorrer, principalmente no mês de julho, nas áreas propícias ao fenômeno”, diz o Prognóstico de Inverno do Inmet.

Para o Norte do país, a meteorologia prevê a permanência de chuvas variando de normal a abaixo do esperado. A exceção é o nordeste de Roraima e o centro-norte do Pará. Além disso, de acordo com o instituto, a possibilidade de ocorrência de temperaturas médias abaixo do normal favorece a incidência de friagem, principalmente no sul do Amazonas, Acre e de Rondônia.

No outono, as chuvas ocorreram com maior intensidade no leste da Região Nordeste, principalmente em Pernambuco, Alagoas, Sergipe e parte da Bahia. Segundo o Inmet, acumulados de chuva muito acima da média são comuns nessa área. O mesmo ocorreu nos anos de 1966, 1975, 1985 e 2009. O órgão chama atenção para o fato de que a estação chuvosa na região segue até agosto, favorecendo a ocorrência de chuvas que podem ultrapassar o volume de 100 milímetros em um único dia.

A previsão do instituto indica, no entanto, que haverá predomínio de áreas com maior probabilidade de chuvas dentro da faixa normal ou levemente abaixo do esperado para a estação. “As temperaturas estarão mais amenas ao longo da costa. No interior da região, começa o período seco, com temperaturas altas e baixos índices de umidade relativa”, diz o Prognóstico de Inverno.

Da Agência Brasil

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757