Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

catalaunO governo da Espanha recebeu nesta sexta-feira (29) o apoio à legalidade e à Constituição do país de líderes de membros da União Europeia (UE), entre eles o presidente da França, Emmanuel Macron, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, na cúpula informal dos chefes de Estado do bloco em Tallinn, capital da Estônia. A informação é da EFE.

Embora o referendo separatista da região da Catalunha da Espanha não esteja na pauta da reunião e não tenha sido abordado no jantar informal de ontem noite entre os líderes da UE, a tensão institucional na Espanha é visível na cúpula.

"Tanto o presidente francês Macron quanto a chanceler alemã Merkel expressaram à delegação espanhola, quando tiveram oportunidade, o seu apoio ao presidente do governo, à Constituição do país e ao Estado de direito", disseram fontes diplomáticas espanholas em Tallinn.

O presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, não compareceu à cúpula informal em Talinn, onde a delegação do país é liderada pelo secretário de Estado de Assuntos Europeus, Jorge Toledo.

Apoio à legalidade

O presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, declarou que, a nível jurídico, "Madri tem razão", e disse que posteriormente é preciso tentar um diálogo para buscar uma solução política a respeito. O primeiro-ministro da Itália, Paolo Gentinloni, também expressou seu apoio à legalidade constitucional da Espanha, e disse que seu país respeita as leis espanholas.

"Penso que sobre a Catalunha, como Estados da União Europeia, respeitamos na nossa casa e na casa dos demais as leis de cada país, sem nos intrometermos em suas dinâmicas internas, mas fazendo referência às leis vigentes", apontou o líder italiano.

Outro que se pronunciou sobre a questão independentista foi o presidente da Romênia, Klaus Iohannis, que se mostrou "preocupado" com a situação e rejeitou esse tipo de referendo na UE."É um tema que afeta a todos. Para mim é muito importante manter uma Europa unida. Não ajuda ninguém ter partes da UE deixando o bloco através de um referendo desse tipo", disse.

Mais direto em suas palavras, o premiê de Luxemburgo, Xabier Bettel, declarou à imprensa que "há uma lei e uma Constituição na Espanha e elas têm que ser respeitadas".

Por sua vez, a presidente da Lituânia, Dalia Grybauskaite, reconheceu que a situação na Espanha "não é fácil, é sensível. Desejamos que permaneçam fortes", declarou.

Da Agência EFE via Agência Brasil

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757