Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Reprodução/ Internet
china5
A passagem do tufão Hato hoje (23) por Macau, no sul da China, causou a morte de três pessoas e outras duas estão desaparecidas, enquanto Hong Kong continua paralisada pelas fortes chuvas e inundações.

O observatório meteorológico de Hong Kong elevou o alerta para o nível 10, um indicador que não era registrado desde julho de 2012 e que revela que o Hato poderá ser uma das piores tempestades dos últimos anos.

Além disso, em Macau pelo menos três pessoas morreram por acidentes derivados das complicações meteorológicas e outras duas pessoas estão desaparecidas, segundo o jornal Macau Daily.

A ex-colônia portuguesa sofreu uma forte interrupção do fornecimento de energia elétrica, e a distribuição de água pode ser cortada nas próximas horas.

Os fortes ventos e chuvas causaram inundações em muitas ruas, entre elas uma das principais avenidas da cidade, a Avenida da Amizade, onde ficam vários cassinos.

Já em Hong Kong, ainda não há um balanço dos danos, mas o observatório meteorológico da cidade alertou esta manhã para um forte aumento do nível do mar, podendo causar inundações.

Centenas de voos com saída e chegada em Hong Kong foram cancelados e também estão suspensos os serviços de ônibus e balsas para as ilhas periféricas. A Secretaria de Educação anunciou que as aulas estão suspensas nesta quarta-feira, enquanto a Bolsa de Hong Kong permaneceu fechada.

As autoridades meteorológicas da China, por sua vez, confirmaram que o tufão atingiu a cidade de Zhuhai (Cantão).

Desde ontem, a região está em alerta laranja, o segundo mais alto, e milhares de pessoas foram evacuadas de várias províncias do sul do país.

As viagens de trens de alta velocidade entre Shenzhen e as províncias orientais de Fujian e Jiangxi foram canceladas, assim como os serviços na linha de Guangzhou-Nanning.

É esperado que o tufão traga fortes chuvas às províncias de Cantão e Fujian e ondas enormes, de até dez metros, no Mar da China Meridional, que podem causar inundações e danos severos na região.

Da Agência Brasil via Agência EFE

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757