Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Terra vermelha (Foto: Reprodução)
earthred
Nesta quarta-feira, dia 2 de agosto, será lembrado o Dia da Sobrecarga da Terra. A data levanta o debate sobre a urgente escassez dos recursos naturais do planeta. As ações sustentáveis, principalmente nas construções, são opções que contribuem para a preservação do meio-ambiente.

Apesar disso, de acordo com o engenheiro e diretor de sustentabilidade do Sindicato da Indústria da Construção no Estado de Goiás (Sinduscon-GO), Gustavo Veras, em entrevista no quadro Meio Ambiente desta terça-feira (1º) no Cidadania em Destaque, o planeta não consegue mais neutralizar os prejuízos causados pelo homem.

“A Terra não consegue mais repor esse impacto de forma a neutralizá-lo. É quase como um cheque especial do meio ambiente. A partir deste momento, tudo o que houver de impacto e prejuízos acaba ficando como prejuízo mesmo, o planeta não consegue mais neutralizar isso”, analisa.

A constatação da situação do planeta foi feita pela Global Footprint Network, uma organização internacional que anualmente calcula o Earth Overshoot Day (Dia da Sobrecarga da Terra), momento em que o consumo dos recursos naturais pela população e indústrias do Planeta atinge o limite do que a Terra é capaz de repor em um ano inteiro. Gustavo Veras explica que medidas simples do dia-a-dia podem amenizar estes impactos.

“Deixar área mais permeáveis, nas casas, quintais onde a água possa escoar e retroalimentar o lenço freático, a utilização da água da chuva, que não requer tecnologia tão avançada para fins não potáveis como irrigar o jardim, lavar louças e descarga do vaso sanitário, tentar manter ambientes desocupados com as luzes apagadas, banhos mais curtos, usar a água da maneira realmente necessária, trocar a água das mangueiras pela vassoura ao limpar os ambientes. São medidas simples e pouco onerosas”, avalia.

Ouça a entrevista completa

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757