Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Reprodução/ Internet
venezuela
O Ministério Público (MP) da Venezuela informou, nessa quinta-feira (04), que chega a 35 o número de pessoas mortas em consequência da violência em algumas das manifestações que ocorreram no país em abril, enquanto o número de feridos subiu para 717.

Em comunicado, o órgão detalhou que 18 dessas mortes foram registradas na Área Metropolitana de Caracas, seis no estado de Carabobo, cinco em Lara, duas em Mérida, duas no estado de Miranda, uma em Barinas e uma em Táchira, informou a Agência EFE.

Saiba MaisOEA analisa texto do Parlamento venezuelano anulando a saída do país da entidade

O MP ressaltou que seus procuradores e especialistas se transferiram para os diferentes locais dos incidentes para acompanhar a situação e determinar as responsabilidades penais. Além disso, informou que foram feitas comparações balísticas e confiscadas armas nos casos de violação de direitos fundamentais.

Nesse sentido, lembrou que estão sendo realizados testes balísticos para avaliar a possibilidade de que os projéteis e materiais de controle de manifestações que estão sendo usados atualmente causem dano físico". "Essa análise também é feita para gerar recomendações aos organismos de segurança sobre a utilização segura desses materiais", acrescentou o MP.

Sobre os feridos, a procuradoria assegurou que os médicos forenses têm se encarregado de verificar as lesões, caracterizá-las e determinar o grau de gravidade.

Por esses incidentes, há 152 pessoas presas e 18 ordens de apreensão para serem executadas, segundo o MP venezuelano.

Da Agência Brasil

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757