Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Leia mais...Os talibãs reivindicaram o atentado suicida realizado hoje com um carro-bomba no oeste de Cabul, em que morreram pelo menos 24 civis e 42 ficaram feridos, e que, segundo os insurgentes, era voltado contra membros dos serviços de inteligência.

O objetivo eram dois micro-ônibus com "interrogadores" dos serviços de inteligência afegãos, disse o porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, em um comunicado, no qual acrescentou que no ataque "com um carro repleto de potentes explosivos" morreram 37 deles.

A explosão do veículo aconteceu pouco antes das 7h (horário local, 23h30 de domingo em Brasília), em uma rua no Distrito Policial 3 no oeste da capital afegã, afirmou à Agência Efe o porta-voz do Ministério do Interior, Najib Danish.

"Dois micro-ônibus estavam há dois meses sob vigilância e foram atacados hoje depois que pegaram todos os passageiros", declarou Mujahid, acrescentando que os veículos iam para a sede dos serviços de inteligência na capital afegã.

Segundo fontes oficiais, o atentado causou 24 mortos e 42 feridos, todos eles civis.

A agência de inteligência Diretório Nacional de Segurança rejeitou a versão dos talibãs, ao afirmar que esse departamento "não utiliza ônibus para transportar seus funcionários".

Da Agência EFE

Leia mais...A China vai implementar uma política fiscal proativa e uma política monetária prudente no segundo semestre do ano, disse a agência de notícias oficial Xinhua, citando o Politburo, mais importante órgão decisório do Partido Comunista chinês, após uma reunião nesta segunda-feira.

A China vai fortalecer a coordenação da regulação fiscal, estabilizar o mercado de propriedades e evitar riscos financeiros sistêmicos, de acordo com comunicado divulgado após o encontro, que foi presidido pelo presidente Xi Jinping.

Da Agência Reuters

Leia mais...O Fundo Monetário Internacional (FMI) informou hoje, em Kuala Lumpur, que rebaixou as perspectivas de crescimento econômico dos Estados Unidos porque prevê que a política fiscal "não será tão expansiva" como se tinha pensado.

A maior economia do mundo crescerá este ano 2,1% e no ano seguinte 2,1%, menos que 2,3% e 2,5% que os especialistas do FMI calcularam em abril.

"O crescimento dos Estados Unidos deveria se manter acima da sua taxa de crescimento potencial a longo prazo durante os dois próximos anos, mas reduzimos as perspectivas", disse o diretor de Investigação do FMI, Maurice Obstfeld, durante uma apresentação na Malásia transmitida ao vivo pela internet.

Obstfeld afirmou que o rebaixamento foi aplicado porque "a política fiscal dos EUA parece menos provável que seja tão expansiva como acreditávamos em abril".

"As expectativas do mercado a respeito do estímulo fiscal também se moderaram", sinaliza a atualização elaborada pelo organismo.

Da Agência Brasil

Leia mais...O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, apoia um projeto de lei anunciado neste sábado (22) pelas duas câmaras do Congresso americano para aumentar as sanções à Rússia, devido em parte à sua suposta ingerência nas eleições do país, disse neste domingo a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders. As informações são da Agência EFE

“Apoiamos o projeto de lei tal como está agora”, afirmou Sanders, em entrevista à emissora de televisão ABC News. A Casa Branca tinha se oposto a uma versão anterior do mesmo projeto, devido sobretudo ao fato de que o plano limitava a capacidade de Trump de suspender as sanções à Rússia.

O novo projeto de lei, que inclui também novas sanções ao Irã e à Coreia do Norte, mantém esse limite: se Trump quiser suspender as restrições ou fazer mudanças “significativas” na política para a Rússia, deverá informar ao Congresso e este teria 30 dias para decidir se lhe permite fazê-lo.

O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, advertiu, no mês passado, que aumentar as sanções a Moscou complicaria seu esforço para endireitar as relações com a Rússia, e instou os legisladores a dar “flexibilidade” a Trump para desenvolver sua política exterior. No entanto, Sanders assegurou hoje que o governo de Trump “apoia ser duro com a Rússia e, em particular, impor estas sanções”.

“A legislação original estava mal concebida, mas pudemos trabalhar com a Câmara de Representantes e o Senado, e a administração está satisfeita de ter podido fazer isso e ter feito mudanças que eram necessárias”, destacou a porta-voz. “Seguiremos trabalhando com a Câmara e o Senado para impor essas duras sanções à Rússia até que se resolva a situação na Ucrânia, algo que, por enquanto, não ocorreu”, acrescentou.

O novo texto, que será votado na terça-feira (25), na Câmara, e pouco depois no Senado, imporia sanções à Rússia não só pela sua interferência nas eleições presidenciais de 2016, mas também por sua atividade militar no leste da Ucrânia e sua anexação da península ucraniana da Crimeia em 2014. A lei sancionaria ainda os russos implicados em violações de direitos humanos, responsáveis de ciberataques e indivíduos que tenham fornecido armas ao regime sírio de Bashar al Assad.

A votação será feita sob um procedimento expresso reservado para projetos de lei que contam com muito respaldo, e se espera que seja aprovado por uma maioria de dois terços em ambas câmaras, um apoio suficientemente amplo para invalidar qualquer veto que Trump pudesse decidir impor sobre a legislação.

A Casa Branca parece ter decidido que, ainda se Trump mantiver sua capacidade de veto, não lhe conviria fazê-lo em um momento em que há investigações abertas do FBI e do Congresso sobre os seus supostos laços com a Rússia.

Irã e Coreia do Norte

Quanto ao Irã, o projeto de lei impõe sanções financeiras e proíbe a entrada nos EUA de pessoas implicadas no programa de mísseis balísticos de Teerã e daqueles que negociem com eles.

A lei também obrigaria o governo americano a aplicar sanções à Guarda Revolucionária do Irã por seu “apoio do terrorismo” e a sancionar violadores de direitos humanos.

Por último, o projeto proibiria a entrada nos Estados Unidos de bens produzidos com uso de trabalhos forçados na Coreia do Norte, e vetaria a chegada a portos americanos de barcos norte-coreanos ou provenientes de países que não implementem as resoluções da ONU contra Pyongyang.

Da Agência EFE via Agência Brasil

Leia mais...Oito pessoas foram encontradas mortas e 20 feridas dentro de um caminhão estacionado em San Antonio, no estado americano do Texas, informou neste domingo (23) a polícia local. Segundo a polícia, trata-se de um caso de tráfico de pessoas. As informações são da Agência EFE.

Alguns dos feridos hospitalizadas estavam em estado crítico. Segundo esclareceu o chefe da polícia de San Antonio, William McManus, eram jovens e adultos entre 20 e 30 anos.

O motorista do caminhão foi detido, disse o policial, porque receberam ligação de um funcionário de armazéns informando que uma pessoa que estava em um caminhão de carga estacionado se aproximou para pedir água.

“O funcionário voltou com a água, chamou a polícia e, quando chegamos, encontramos oito pessoas mortas na parte traseira do veículo”, disse McManus, acrescentando que “havia pelo menos 38 pessoas dentro do caminhão”. O policial disse que entre os 20 feridos havia alguns em “estado crítico ou muito grave” e que estes tinham sido levados de helicópteros a diversos hospitais próximos.

O chefe de bombeiros de San Antonio, Charles Hood, informou, em coletiva, que o ar-condicionado do veículo não funcionava e não havia água. “Estavam muito quentes ao tato”, disse Hood sobre as vítimas, sem detalhar quanto tempo o caminhão estava estacionado em San Antonio.

McManus ressaltou que a polícia considera o caso “um crime de tráfico de pessoas” e que “o Departamento de Segurança Nacional está envolvido na investigação”.

Da Agência EFE via Agência Brasil

Leia mais...Dois casos de violação do acordo de cessar-fogo declarado na manhã deste sábado (22) entre o governo sírio e as facções rebeldes e islâmicas foram registrados na região de Ghouta Oriental, principal bastião da oposição síria nos arredores de Damasco, por parte das forças governamentais sírias.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos assegurou que a primeira violação ocorreu na localidade de Duma, nos subúrbios de Damasco, região controlada pela facção do Exército de Islã. Projéteis da artilharia dos soldados do governo causaram ferimentos em cinco pessoas.

Por outro lado, um tanque das forças do regime lançou um projétil em uma área limítrofe da cidade de Harasta, região de Ghouta Oriental. Esta é a segunda violação ocorreu depois que o Exército anunciou um cessar-fogo a partir de 12h (horário local, 6h de Brasília) na região.

No comunicado feito pela agência oficial de notícias Sana, não foram indicadas de forma precisa os locais onde valeria o acordo de cessar-fogo.

Já o porta-voz da facção Legião da Misericórdia, vinculada à ex-filial da Al Qaeda, Wael Aluan, publicou em uma conta oficial do Twitter que dava as "boas-vindas a qualquer esforço para cessar o fogo". Aluan ressaltou que "o caminho da solução começa com o cessar-fogo e, posteriormente, com a aplicação dos acordos internacionais (...) e termina com a transição política completa".

O exército sírio anunciou a cessação de hostilidades em várias áreas na região de Ghouta Oriental a partir de hoje, coincidindo com o anúncio da Rússia, de criação de uma "zona de distensão".

Nas últimas semanas, se intensificaram as hostilidades em Ghouta Oriental, onde as forças governamentais estão tentando progredir frente a facções rebeldes e islâmicas.

Da Agência Brasil

Leia mais...Um jovem palestino foi morto em um confronto com as forças de segurança israelenses na Cisjordânia neste sábado (22), o segundo dia de tensão neste local e em Jerusalém Oriental em protesto pelo reforço dos controles de Israel no acesso à Esplanada das Mesquitas.

O morto, identificado como Yusef Kashur, de 19 anos, foi ferido com uma bala no peito no povoado cisjordaniano de Al Eizariya. A vítima foi transferida ao hospital da cidade de Jericó, onde morreu, segundo informaram fontes médicas à Agência Efe.

O incidente aconteceu após uma onda de violência na região, que seguiu os confrontos de ontem, nos quais três palestinos morreram, 450 ficaram feridos e quatro policiais israelenses também. Durante a noite, um palestino assassinou a facadas três membros de uma família judia no assentamento de Halamish, na Cisjordânia.

Este clima de tensão se insere no cenário de protestos muçulmanos contra as novas medidas de segurança e restrições impostas por Israel em torno da Esplanada das Mesquitas, após o ataque cometido no dia 14 por três árabes-israelenses, que assassinaram dois policiais israelenses, antes de serem abatidos pelas forças de segurança.

Da Agência Brasil via Agência EFE

Leia mais...Uma passeata em direção à sede do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) em Caracas, convocada pela oposição para expressar apoio aos 33 magistrados designados na sexta-feira (21) pelo Parlamento, foi bloqueada pelas forças de segurança neste sábado, o que gerou confrontos entre manifestantes e agentes. As informações são da agência EFE.

Os manifestantes pretendiam chegar à sede do TSJ, mas tiveram a passagem impedida a poucos metros do ponto de partida pela Guarda Nacional Bolivariana, que os obrigou a recuar com bombas de gás lacrimogêneo.

Os agentes se encontraram em Chacao, um reduto da oposição no leste de Caracas, com um grupo de jovens conhecido como "a resistência", que repeliu os ataques com escudos caseiros e também atacou os oficiais com diversos objetos.

O deputado opositor Miguel Pizarro denunciou em vídeo publicado nas redes sociais a "repressão em Chacao" com "bombas de gás lacrimogêneo lançadas contra os manifestantes da estrada com alguns tanques".

O deputado Ángel Medina denunciou em mensagem no Twitter uma "forte repressão" na estrada Francisco Fajardo, à altura de Chacao. "O nosso povo, em protesto pacífico, atacado pela ditadura", acrescenta a mesma mensagem.

A oposição tinha anunciado a intenção de chegar ao TSJ para expressar respaldo aos 33 magistrados designados na sexta-feira pelo Parlamento, não reconhecendo os que foram designados em 2015 por um Legislativo de maioria chavista.

A Venezuela vive desde 1º de abril uma onda de protestos contra o governo gerados após o Tribunal Supremo assumir as funções do Legislativo. Algumas decisões foram revogadas posteriormente.

Pelo menos 100 pessoas morreram até agora em episódios de violência relacionados com as manifestações, que frequentemente resultam confrontos com as forças da ordem.

Da Agência Brasil via Agência EFE

Leia mais...O Exército do Líbano bombardeou neste sábado (22) um grupo de jihadistas que tentava entrar em uma área da região de Arsal, no nordeste e na fronteira com a Síria, onde foi anunciada uma ofensiva pelo grupo xiita Hezbollah, apoiado pelo governo sírio. Ontem (21), o exército libanês bombardeou em duas ocasiões áreas da região de Arsal. As informações são da agência EFE.

A emissora de televisão Al Manar, porta-voz do grupo xiita, afirmou que os militares continuam bombardeando de forma intensa as posições jihadistas em Arsal e que vêm ganhando terreno. Além disso, divulgam vídeos, feitos por meio de drones, dos locais que recuperaram.

Meios de comunicação locais asseguraram que o avanço do Hezbollah está acompanhado por bombardeios da aviação síria do outro lado da fronteira.

Apoiado pelo governo sírio, o Hezbollah anunciou ontem o começo de uma ofensiva para "libertar" as montanhas de Arsal, no lado libanês da fronteira, e os montes de Al Qalamun, na parte síria, da presença de "terroristas". Nessa área opera a Frente da Conquista do Levante (ex-filial síria da Al Qaeda) e o grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

Da Agência Brasil via Agência EFE

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757