Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova

appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail
  • RÁDIO 730 INSTITUCIONAL - MOBILE - 13 05 2016

Rodrigo Mauro AndreRodrigues
Zagueiro Rodrigo, torcedor do Goiás e o médico Mauro Machado (Foto: André Rodrigues)
Os jogadores do Goiás, que estão em Natal/RN para o jogo da volta contra o ABC, pela terceira fase da Copa do Brasil, aproveitaram a estadia para realizarem uma ação social. O zagueiro Rodrigo, juntamente com o Doutor Mauro Machado, foram os principais responsáveis pela ação que presenteou, com um carrinho de cachorro-quente, um cidadão humilde da cidade.

Ao repórter André Rodrigues, da Rádio 730, Rodrigo falou sobre a importância de ajudar pessoas que precisam e da relação de amizade com o senhor desde a época em que o jogador atuava pelo São Paulo Futebol Clube. “A gente vê que é uma pessoa honesta e está tendo uma oportunidade de sustentar a família dele. O que eu não gosto muito é quando o sujeito me aborda no campo de futebol pedindo para arrumar um dinheiro”, disse.

Para o zagueiro, o que o faz feliz é quando a ajuda é para pessoas que realmente necessitam. “Quando dá para ajudar e sabemos que vai ser para o cara se sustentar, eu acho legal”, acrescenta.

Perguntado sobre a nova parceria com o companheiro de zaga Valmir Lucas, Rodrigo afirmou que, aos poucos, vai se formando o entrosamento. “Estou tendo uma sequência boa, pensei que teria um pouco de dificuldade com o Valmir Lucas, depois da saída do Ernando, mas ocorreu tudo tranquilo e agora é dar continuidade ao que estávamos fazendo”, ressalta.

Contrato

Sobre a prorrogação de contrato, que se encerra em dezembro deste ano, o zagueiro afirmou estar tranquilo e confiante em uma renovação. “Eu já queria ter feito um contrato de dois anos com o Goiás, mas não foi possível e foi feito de um ano. Venho fazendo meu papel dentro de campo e quando retornarmos para Goiânia vamos conversar sobre essa renovação”, diz.

Na mesma entrevista, Rodrigo aproveitou para falar do elenco atual do Goiás. Segundo ele, as contusões e o grupo reduzido fazem com que os torcedores não tenham confiança no time. “Temos que nos preocupar com as contusões dos atletas, já que por não termos opções no banco de reservas, o Enderson teve que recorrer às categorias de base”.

Mesmo com o grupo reduzido, e com a entrada de clubes que estavam na Libertadores na próxima fase da competição da Copa do Brasil, Rodrigo não vê a necessidade de priorizar um determinado torneio.  “Sabemos das dificuldades, principalmente na Copa do Brasil com a entrada dos times que disputaram a Libertadores, mas temos que disputar os dois campeonatos da melhor forma”.

  X
Ouça a 730
apple android
(62) 8400-1757