Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Divulgação / AFC
robston anapolis
Pouco mais de um mês após acertar com o Anápolis, o volante Róbston deixou o clube. O jogador anunciou nesta quarta-feira (15) seu desligamento do Galo da Comarca por conta de uma lesão no joelho. “Essa lesão é a que tive na época do Gama, quando tive que fazer uma cirurgia. Com 35 anos, de lá para cá tive muito desgaste e nesses últimos meses eu passei a treinar em muitos campos duros e isso prejudicou ainda mais. Eu construí muita coisa aqui no estado de Goiás e não quero perder isso tudo”.

Segundo o atleta, ele não estava conseguindo jogar bem e quando entrava em campo, sentia dor. Além do mais, o Anápolis tem a pior campanha do Goianão até o momento e se o campeonato acabasse hoje, estaria rebaixado para a Divisão de Acesso. Róbston acredita que não estava conseguindo ajudar seus companheiros e por isso tomou essa decisão.

“Eu tenho duas cirurgias no joelho e a minha cartilagem está bem desgastada. Chegou um momento que eu estou jogando com muita dor, tomando injeção para poder jogar e tive o bom senso de que isso estava me prejudicando e eu não estava conseguindo render dentro de campo. Então hoje eu resolvi tomar essa decisão porque o Anápolis está em uma situação muito complicada e os jogadores para estarem lá tem que estar 100%. Para não prejudicar a equipe, resolvi me desligar”.

Pendurar as chuteiras?

Por conta da dor, Róbston diz estar encerrando sua carreira “temporariamente”. Isto porque se receber uma proposta boa, o atleta cogita a possibilidade de tomar injeções que resolvem paliativamente o seu problema. “A princípio estou encerrando minha carreira, a não ser que apareça uma coisa boa, porque eu tenho que tomar uma injeção cara que mascara a dor por cerca de quatro a seis meses e aí eu poderia voltar a jogar, mas não quero atuar com dor”.

Mas o que seria uma boa proposta? Um time que disputará um Campeonato Brasileiro ou até mesmo o Vila Nova, clube pelo qual jogou e teve sucesso? O atleta, pelo menos, nunca escondeu o desejo de voltar a vestir a camisa colorada.

 “Um clube de Série B e até mesmo de Série C que disputaria acesso ou um título. Mas eu nunca escondi de ninguém que queria encerrar minha carreira jogando pelo Vila. Lá eu fiz 99 jogos e, faltando um jogo para o centésimo, teve aquela confusão toda no ano passado. Eu queria terminar jogando, queria que fosse dessa forma. O meu grande sonho é poder voltar no Vila e encerrar minha carreira”.

Róbston saiu do Vila Nova em agosto do ano passado. O jogador pediu a rescisão de seu contrato antes mesmo do fim da Série B e revelou que a decisão foi tomada principalmente por não ter uma boa relação com Guilherme Alves, até então, técnico do time colorado. Apesar da saída conturbada, o volante revela que se ofereceria sem problema algum para fazer parte do elenco do time novamente.

“A minha história dentro do Vila Nova é muito bonita, com dois títulos e dois acessos. Quando eu saí de lá no ano passado, nunca escondi de ninguém que queria voltar para encerrar minha carreira no Vila e seria um prêmio para mim voltar a jogar um Série B com essa camisa, onde todo mundo gosta de mim. Eu me oferecia sem medo nenhum, até porque é um clube que me sinto à vontade. Quem sabe não pode acontecer? Eu ficaria muito feliz, mas sei que isso envolve muitas coisas”.

Mas, se nada der certo e nenhuma proposta chegar ao jogador, Róbston já tem uma segunda “carta na manga”. Ele pretende estudar, se especializar e, quem sabe, comandar o time agora do banco de reservas. “A minha residência fixa é em Goiânia, e caso não apareça nada, já estou entrando em contato com o pessoal das escolinhas para dar continuidade à minha carreira em um outro sonho que eu também tenho que é de ser treinador.  Quero fazer cursos, estágios com outros treinadores que eu trabalhei durante a carreira, mas vamos esperar para ver o que vai acontecer”.

carregando...

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757