Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

(Imagem: Reprodução/VNFC)
mazola dep comunicacao
O empate sem gols entre Vila Nova e Goianésia no complemento da 3ª rodada do Campeonato Goiano tirou com os 100% de aproveitamento do time colorado, que ainda lidera o Grupo A, mas agora dividindo a ponta com o rival Goiás - o Tigre está na frente por ter melhor saldo de gol. Quem comentou sobre a igualdade no duelo contra o Azulão do Vale foi o técnico Mazola Júnior, que fez questão de apontar que nervosismo e salto alto não fizeram parte do clube nesta segunda-feira (6).

“Não houve salto alto da nossa parte, corremos bastante e preciso dar méritos para a equipe do Goianésia.  Vamos continuar trabalhando para tentar recuperar esses pontos perdidos já na quinta-feira (9), quando será um confronto duríssimo pelo campeonato que a Aparecidense está fazendo. Também não digo em nervosismo porque são jogadores experientes, infelizmente não tivemos a competência de fazer os gols”, comentou.

O duelo realizado no Serra Dourada contra o Goianésia, serviu para o comandante do Tigre confirmar que será necessário a chegada de um jogador de referência para o ataque vermelho. Na visão do treinador, que começou o embate com Wallyson e Moisés, posteriormente acrescentando Matheus Anderson e Vandinho, nenhum dos jogadores de ataque possuem características que ele acredita serem necessárias para o “9” ideal.

Em especial, sobre Vandinho, Mazola fez questão de explicar porque o atleta não é utilizado na posição que ele deseja e revelou o nome que ele acredita ser a solução para seu problema. “O Vandinho é um pouco mais dinâmico do que o jogador que pretendemos ter. Estamos focando na recuperação do Patrick, que seria teoricamente o jogador com essa característica. Se não ele, terá que ser outro. Precisamos ver com a direção, a parte orçamentária e financeira. Temos que ter atenção com isso”, declarou.

Mazola, no entanto, fez questão de valorizar a postura da sua equipe durante coletiva de imprensa. “Quando se luta da forma com lutamos dá gosto de ver, quando se joga e cria oportunidades, por exemplo. A falta do gol é coisa do futebol, temos que dar méritos ao adversário que soube se defender muito bem e ainda bem que a bola não nos puniu”, afirmou o treinador do Vila Nova.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757