Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

(Foto: Assessoria / Vila Nova FC)
hiroshi vila assessoria
Apesar de ter sido apresentado apenas nesta quarta-feira (17), o meia Hiroshi foi contratado pela diretoria do Vila Nova ainda em dezembro de 2016. Após realizar uma grande Série B pelo rebaixado Tupi-MG (18º colocado com 33 pontos), o experiente jogador de 30 anos não esconde a vontade de assumir a camisa 10 colorada. “Isso vai depender do Mazola, vou trabalhar o máximo para conseguir meu espaço e fazer um grande ano para ajudar o Vila”, afirma.

A equipe em que Hiroshi estava na temporada 2016 não obteve sucesso nas competições que disputou. Neste ano o meia pretende usar sua experiência para, segundo ele, “agregar muita coisa”. “Fiz um campeonato muito difícil, muito disputado e acredito que as chances do Vila fazer um campeonato melhor que o do ano passado são grandes. O Mazola vem mantendo um elenco forte, juntamente com o Felipe (Albuquerque) e a diretoria, e o pessoal está comprando a ideia. Acho que tem tudo para dar certo”, ressalta.

A torcida

O fato do Vila Nova ter uma torcida presente no dia a dia do clube motivou o jogador na escolha de vestir a camisa vermelha na temporada de 2017. A proximidade do clube com os colorados da arquibancada impressionou o jogador que ainda não atuou em um clube de massa*.

“Fiquei até surpreso. A estrutura do Vila, a recepção que tive aqui foi a melhor possível e foi além do que me passaram. Um clube muito acolhedor, a torcida empurra o time do começo ao fim e isso são fatores que ajudam muito a fazer um grande ano”, ressalta.

O jejum

O Vila Nova não vence uma edição do Campeonato Goiano desde 2005, quando foi campeão sobre seu arquirrival Goiás. A partir de então, o ‘Tigre da Vila Famosa’, como é carinhosamente apelidado pelo seus torcedores, está na fila por uma conquista estadual. Vale lembrar que em 2015 o colorado chegou a faturar a Divisão de Acesso do Goianão, conquista que alguns torcedores preferem nem lembrar.

“Uma equipe com a tradição do Vila não pode pensar em outra coisa, no momento, sem ser o título do Estadual. Temos que jogar todo o campeonato pensando em ser campeão. Até me espantei pelo tempo que está sem ganhar. Tabu foi feito para ser quebrado e vamos fazer de tudo para quebrar esse tabu de 12 anos.”, conta.

*Hiroshi teve uma passagem rápida pelo Figueirense, considerado um time de massa. Porém, em sua trajetória no clube catarinense, o meia entrou em campo por apenas duas vezes.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757