Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Divulgação
moises vila nova 2017 tenso
Um dos principais jogadores do atual elenco do Vila Nova, o atacante Moisés continua com a sua situação indefinida. Na tarde desta sexta-feira (6), o atleta acionou o time colorado na Justiça Trabalhista reivindicando: salários atrasados do mês de outubro, novembro, dezembro e janeiro (proporcional); uma cláusula compensatória em valor a ser arbitrado; 13º proporcional referente ao ano de 2016; férias proporcionais acrescidas de ⅓ relativas ao ano de 2016; depósito do FGTS desde junho de 2016; multa indenizatória de 40% sobre todos os valores devidos de FGTS com a consequente expedição de alvará; além da assinatura da carteira de trabalho do jogador.

Em uma entrevista exclusiva no programa Toque de Primeira, Moisés diz que a ação é uma forma de “segurança” profissional. “Eu acionei o Vila na justiça pra ter uma garantia, porque venho tendo problemas e isso vem me deixando preocupado. Eu não sou mais um menino de 20 anos de idade, então essa foi a única opção que eu tive.”

O atleta destaca que a saída conturbada de alguns jogadores que foram importantes para o Vila também o motivou a tomar esta decisão. “Eu vi o que fizeram com o Frontini, por exemplo, e eu não fiz um terço do que ele já fez pelo Vila. Isso me deixa preocupado. A ação foi uma garantia para resolver isso o mais rápido possível com o presidente.”

“Se eu fosse importante, me valorizavam”

Moisés tem contrato com o Vila Nova até o final de 2017, mas com o término da Série B, o jogador recebeu propostas de vários clubes. Mesmo assim, a prioridade de Moisés era prolongar seu vínculo com o colorado. “Acabou o Campeonato Brasileiro, eu venho pedindo e me humilhando por uma renovação. Queria fazer mais um ou até dois anos de contrato, mas meu pedido não estava sendo aceito”.

Aos 30 anos de idade, a prorrogação seria, segundo ele, uma segurança para a sua carreira. “Eu tenho 30 anos de idade, não posso me ‘pendurar’ em um contrato de 1 ano porque não sei o que vai acontecer lá na frente.”

Apesar da situação ainda estar indefinida, Moisés diz confiar no Presidente Ecival Martins, e garante que tudo o que quer, é uma solução. “O Ecival é um cara sério, ele foi muito educado comigo e eu confio muito nele. Eu conversei com ele após o almoço e disse que acionaria o Vila na Justiça para ter uma garantia, mas se chegássemos a um acordo, eu tiraria, isso é fácil.”

“Eu esperei muito pelo momento de ser o principal jogador do Vila”

Perguntado pelo repórter Rafael Bessa se seria impossível ele jogar pelo Vila em 2017, Moisés garante que a sua intenção nunca foi essa. “Não é vontade de não jogar mais pelo Vila, longe disso. É que existem problemas, eu quero assinar minha carteira, preciso do meu salário porque tenho meus filhos, minha família. Eu sou um cara que tem uma família humildade, em que muitos precisam de mim.”

Ceará

Entre os times que sondaram o atacante colorado após a Série B, o Ceará foi mais insistente. Desde que a temporada passada acabou, as conversas entre o time cearense e o jogador são constantes. “O Ceará é um clube que eu converso bastante. O pessoal todo da comissão técnica mostrou muito interesse em que faça um contrato longo lá, então, para mim, o Ceará é muito interessante.”

Moisés disse à reportagem da Rádio 730 que o Vila Nova sempre esteve ciente das investidas do Vozão e que ele mesmo se responsabilizou em repassar as proposições ao presidente colorado e fazer nova proposta. “Se tem uma pessoa que conhece o Vila, essa pessoa sou eu. Eu falei para o Ecival da proposta do Ceará e eu sei que o Vila não pode chegar nem perto do que eles me ofereceram, por isso eu disse para o Ecival me pagar a metade do que o Ceará me propôs, mas ele me ofereceu a metade do que eu havia proposto. Aí não tem condição.”

Goiás

Sobre a especulação de ter sido oferecido ao Goiás, o atacante colorado garante que nunca foi procurado e que não faz negociações por meio de empresário. “Essa proposta do Goiás não existe. Se alguém me ofereceu lá é mentira, porque eu não tenho empresário. Quem resolve minhas coisas sou eu, as conversas são direto comigo.

Mesmo com as dificuldades na negociação, Moisés diz que não é impossível sua permanência no Tigre e que vai esperar uma conversa com Ecival Martins neste sábado (7),  para definir sua situação.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757