Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail


Foto: Divulgação
tite.coletiva
Oito jogos, oito vitórias e uma marca inédita alcançada com a Seleção Brasileira. Este é o início de Tite no comando do Brasil nestas Eliminatórias Sul Americanas. O comandante vem fazendo uma campanha histórica e pode já garantir a Seleção na Copa do Mundo na Rússia de 2018 nesta terça-feira (28), quando enfrenta o Paraguai, na Arena Corinthians às 21h45. Apesar deste excelente momento, Tite, em entrevista coletiva realizada nesta segunda-feira (27), evitou falar de favoritismo e pregou respeito ao Paraguai. 

"Não posso evitar que os atletas não fiquem felizes, e eu também, não posso não ficar feliz. Mas isso não facilita em nada nosso trabalho no enfrentamento com o Paraguai, que não vencemos há quatro jogos, que venceu a Argentina fora e que busca uma classificação. Temos consciência que há um fato bom, mas com naturalidade. Estou feliz com o rendimento, não só os atletas, mas o estafe todo. Aí falei: vamos dividir alegria com quem merece, para depois, 'ó, deu, agora vem de novo, foca aqui'. O Paraguai não quer saber se nós vencemos. O futebol é assim", declarou. 

Desde que assumiu a Seleção, Tite faz rodízio com a braçadeira de capitão, desta vez, o escolhido foi Neymar. O camisa 10 foi elogiado, e muito, pelo treinador, que enalteceu o futebol que o jogador vem apresentando na idade em que está, e que ele merece esta braçadeira por tudo que vem mostrando dentro de campo. 

"Ele merece a tarja de capitão, é um líder técnico, um garoto num processo de amadurecimento que tem várias pressões, muitas delas desumana. Dei uma entrevista antes da apresentação da Seleção Olímpica falando que tudo era em volta do Neymar, mas o futebol é um conjunto e ele é parte. Como foi no jogo contra a Colômbia, quando roubou uma bola e saiu o gol. Cada um de nós tem uma responsabilidade. Por isso o simbolismo de mudar a capitania", afirmou. 

Para o treinador, é inevitável que Neymar em breve assumirá o posto de melhor jogador do mundo, que vem sendo ocupado há 10 anos por Cristiano Ronaldo e Lionel Messi. "São gerações diferentes, ele fez 25 anos agora. O Cristiano Ronaldo e o Messi estão de 30 para cima. Eles estão jogando em alto nível há tempos. Nessa geração eu vejo o Neymar", analisou. 

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757