Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Rosiron Rodrigues
helio.rosironrodrigues
O Goiás conquistou uma importante vitória na noite desta terça-feira (17) para respirar ainda mais na tabela. Jogando em casa, o time esmeraldino derrotou o Juventude por 1 a 0 e chegou ao quarto jogo consecutivo sem perder na competição, além de ter completado quatro jogos sem levar gols.

Quem garantiu a vitória para o time esmeraldino foi o atacante Aylon, que entrou no segundo tempo no lugar de Viçosa. Ao fazer a alteração, e até mesmo antes, na primeira alteração (saída de Elyeser e entrada de Andrezinho), os torcedores vaiaram bastante o técnico Hélio dos Anjos (além de soltarem gritos de “burro”). Ao fim da partida, o comandante comentou sobre toda essa situação.

“Primeiro que nós treinamos fechados, é normal no mundo todo. Segundo que dispenso alguém que conhece meus jogadores mais do que eu, tenho que entender quando acontece essas coisas. Se estivesse aqui desde o começo quando o Aylon foi contratado tenho certeza que seria outro jogador. Ele é técnico, interessantíssimo e é homem de jogar mais de lado, não de centroavante como falaram quando trouxeram ele. Quase iniciei o jogo com o Aylon no lugar do Nathan. A maioria das pessoas, da imprensa, não sabem o que está acontecendo. Foi um dos melhores primeiros tempos que fiz no campeonato. Acertamos algumas coisas que não estava gostando”, afirmou.

Com o triunfo na noite desta terça-feira (17), o               Goiás deu um salto na tabela e da 14ª foi para a 10ª colocação com 38 pontos. Entretanto, o técnico Hélio dos Anjos prefere não comemorar esta situação, já que não só o esmeraldino, mas também outros clubes melhoraram nesta reta final do campeonato.

“Ainda temos pressão porque ninguém é burro de não saber que tem um crescimento de todas as equipes. Qualquer descuido será fatal. Temos um confronto direto contra o Luverdense agora, onde estaremos desgastados. Sinceramente, não estou nem lembrando da 10ª colocação, ela é irreal, estou pensando mesmo são nos 39 pontos, no equilíbrio que a equipe adquiriu. O apoio da torcida é importante também. O Goiás é um dos melhores times para se trabalhar no Brasil”, finalizou.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757