Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Divulgação
img 20170825 wa0010
Em entrevista exclusiva à Rádio 730, na edição dos debates esportivos desta sexta feira, o presidente do conselho deliberativo do Goiás Hailé Pinheiro, concedeu uma entrevista falando que Sérgio Rassi pediu renúncia do cargo de presidente esmeraldino.

Confia abaixo a entrevista completa:

Tem uma carga muito pesada para cima da administração do Dr. Sérgio Rassi. A culpa dele chega até que ponto? O senhor entende que o momento seria para outra renúncia?

- A realidade do Goiás é uma, do Atlético é outra e do Vila Nova também. É difícil uma pessoa do caráter, da educação, da cultura, da posição do Dr. Sérgio sair na boca de todo mundo, sendo massacrado e isso é muito doído, muito ruim. Então, será que terei que buscar só pessoas sem nível, pessoas sem respeito. Será que vou ter que fazer isso? É muito ruim. Eu, por exemplo, estou no fim de carreira, meu último mandato. Então já sei que meus dias estão contados (não só de vida, mas também de futebol).

Ele conversou com você sobre renúncia? E que conselho o senhor daria a ele nesse instante?

- O Sérgio está muito magoado e com muita coisa. E como uma renúncia é um negócio de coro íntimo, oque ele disser, eu tenho que concordar. A muito tempo ele está com esse pensamento. Eu falei com ele, “está faltando apenas três meses para o fim do mandato", e ele disse que não aguentava mais três horas.

Quando foi a conversa com o Dr. Sérgio? E você aceitou a renúncia dele?

- Foi ontem. Renúncia eu não posso aceitar ou deixar de aceitar. Eu posso até ponderar para ele, disse que só faltavam três meses e pedi que ele aguardasse. Ele acha que com esse gesto pode ajudar o Goiás.

O que nós vamos fazer para o torcedor não ficar revoltado, Hailé?

- Realmente a torcida tem razão e nós também estamos muito chateados, muito aborrecidos, porque realmente a campanha do Goiás deixa muito a desejar.

Hailé, porque que o Vila está dando certo e o Goiás não?

- São as coisas do futebol. Eles tiveram mais sorte, mais competência, mais discernimento. Não pode tirar o mérito do Vila, e os méritos são deles.

Onde que o Goiás errou? Qual a razão que determinou um Goiás tão distante daquilo que sempre foi?

- Se eu soubesse eu já teria solucionado. Agora vocês ai ficam procurando o culpado e fica muito ruim também. Não deu certo, embora tenhamos sido tricampeão goiano. Começamos até razoável as duas campanhas (Copa do Brasil e Série B), mas fracassamos também. Agora não deu liga, não deu certo. Os treinadores que trouxemos também não deram certo com o Goiás. O atual treinador também não está dando certo.

 

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757