Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Divulgação
argel fucks goias comu
O Goiás perdeu para o Oeste na noite desta sexta-feira (04), por 2 a 0, no Estádio Serra Dourada. O time esmeraldino chegou a sua segunda derrota consecutiva no comando de Argel Fucks e segue oscilando na tabela. Com a derrota, a equipe pode até mesmo terminar a competição na 16ª colocação, caso Paysandu e Santa Cruz vençam na rodada.

Após a partida, questionado sobre a possível vinda de jogadores com nomes mais conhecidos, mais pesados pelo futebol brasileiro, o treinador declarou que a ideia não é essa, e deu como exemplo o atacante Nathan, recém contratado pelo Goiás e que foi indicação dele.

“Temos vários jogadores conhecidos aqui, Léo Gamalho, Andrezinho, Willians, Viçosa, precisamos de jogadores de qualidade, não adianta serem conhecidos. Jogador hoje no futebol precisa ter uma intensidade muito alta, a Série B é um campeonato competitivo. Nathan é um jogador que jogou a Copa do Brasil contra mim e foi muito bem, é rápido, joga pelo lado esquerdo, porque hoje só temos o Carlos Eduardo rápido e joga pelo lado direito. Não podemos trazer jogadores conhecidos, mas sim que tenham qualidade”, afirmou.

O treinador também reconheceu a partida abaixo que o Goiás fez. Foi a primeira vez na competição que o Oeste venceu fora de casa. Argel comentou que acredita que um fator que pesou muito para a falta de garra do time em campo tenha sido a sequência pesada de jogos que o Verdão teve nesses últimos dias.

“Acredito muito que sentimos a sequência de jogos, mas isso não é uma justificativa, reconhecemos que não estivemos bem. Tivemos uma condição dentro do campo de não ter um frescor físico, de ser uma equipe competitiva que fomos nos dois primeiros jogos. Hoje não teve intensidade, agressividade, velocidade, atitude, comprometimento e ainda pesou a sequência de jogos. Hoje demos oportunidades para vários jogadores, mas não fizemos uma boa partida. Resultado justo, não temos o que reclamar”, finalizou.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757