Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

(Foto: Rosiron Rodrigues/Goiás EC)
silvio1.divulgacao
Após a derrota para o Juventude por 3 a 0 na última terça-feira (27), o Goiás cogitou a saída do treinador Silvio Criciúma. O que levou a uma possível negociação com Rogério Micale. Mas em conversa com jogadores, o presidente Sérgio Rassi manteve o atual comandante. Em entrevista nesta quinta-feira (6), o técnico Silvio Criciúma não se mostrou muito contente com a repercussão da sua manutenção no comando da equipe.

“Eu queria aqui demonstrar a minha tristeza e decepção. Com algumas pessoas da imprensa pela situação causada. Eu acho que faltou um pouquinho de respeito e consideração pelo profissional. Eu vi vocês noticiarem minha permanência, que os atletas pediram, com um pouquinho de tristeza. Fiquei com a impressão que o que queriam para o momento era o anuncio de um novo treinador. Eu fiquei triste com isso. Até por que aqui tem um profissional envolvido com a causa”, diz.

O técnico esmeraldino fez história com a camisa do Goiás como jogador. Zagueiro, Silvio relembrou a sua maior conquista no clube. “Aqui no logo do Goiás tem sete estrelas, cinco do penta e duas do brasileiro, e eu faço parte de cinco estrelas dessas. Logicamente que como treinador do Goiás estou me propondo a fazer o melhor. Talvez com uma carga maior, pelo fato de justamente está representando essa camisa. Infelizmente até esse momento faltaram com a consideração desse profissional que está aqui na frente”, afirma.

O comandante ainda fala sobre a sua relação com os atletas e a forma que a imprensa o tratou. “Fui envolvido em situações anteriores em relação ao treinado anterior, sobre corpo mole dos jogadores. O mesmo atleta que foi pego como bode expiatório, que foi o Bolt, foi o que teve a infelicidade de errar no clássico. Foi uma injustiça muito grande que cometeram com o atleta, com o grupo de jogadores e envolveram meu nome. Denegriram a minha imagem na situação”, ressalta.

Para a próxima rodada o Goiás terá pela frente o Luverdense. O time mato-grossense ocupa a penúltima colocação, com 12 pontos. O comandante fala sobre a equipe na competição. 

“A necessidade de vitória do Goiás ela é imensa. O Goiás pela sua grandeza, pelos jogadores que tem, pela camisa, não pode passar dois jogos sem pontuar. De repente se não fosse a situação criada talvez estaríamos desenhando essa semana diferente. O que foi criado sobre essa instabilidade no clube vem desde a derrota lá em Caxias do Sul, derrota essa que só eu vou fazer a defesa. Por que é muito fácil dizer que o Goiás foi goleado  lá em Caxias do Sul, mas nós fizemos 35 minutos superior ao adversário, ao líder do campeonato. Foi o melhor tempo de jogo desde que eu estou aqui no Goiás.”, finaliza.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757