Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Arte: Matheus Carvalho
goias
A polêmica envolvendo o episódio entre o atacante Walter e o goleiro Matheus cresce cada dia mais. Após o diretor de futebol Harlei Menezes, em entrevista, afirmar que o jogador teria declarado "não se arrepender e que faria de novo" a agressão, Walter atendeu a reportagem da Rádio 730, nesta segunda-feira (27), e disse que em momento algum fez essa declaração e que Harlei estava tentando jogar a torcida contra ele. 

Após a entrevista de Walter, a reportagem da Rádio 730 entrou em contato com o vice-presidente esmeraldino, Marcelo Almeida, para que ele também comentasse o episódio. Marcelo disse que estava no hospital onde Matheus foi levado após a agressão e que o goleiro não soube explicar o ocorrido, pois estava muito atordoado. O vice-presidente então, foi até o clube para entender melhor a situação.  

"Após ligar para o Sérgio (Rassi), o próximo passo foi nos reunirmos com o Walter para tentarmos tirar dele o que havia acontecido. Nesta reunião estava presente: eu, Harlei Menezes, Osmar e o Gilson Kleina. Quem começou falando foi o Harlei, que primeiramente perguntou: 'Walter, o que você tem a nos dizer sobre essa agressão?'. O que nos assustou foi a forma como ele simplesmente falou: 'Fiz mesmo, não me arrependo e faria de novo'. Com essa declaração, resolvi intervir e falar como médico. Disse à ele que estive com o atleta, que ele tinha desmaiado, que havia sido grave e logo em seguida questionei se ele não media as consequências pela gravidade do caso. Ele me respondeu: "Não". E é melhor nem mencionar mais o que ele falou durante essa reunião", declarou. 

Ao saber da entrevista do atacante, onde Walter afirmou que Harlei teria mentido sobre o que ele disse, Marcelo preferiu não polemizar mais a situação e completou: "Não estava apenas nós três na reunião, mais duas pessoas podem confirmar o que realmente foi ou não dito", afirmou, se referindo ao técnico Gilson Kleina e ao Osmar Lucindo, que também participaram da conversa após a agressão.

O vice-presidente esmeraldino comentou que decidiram levar o jogador para Rio Verde na esperança de que ele se redimisse perante o grupo, já que todos estavam claramente chateados com o ocorrido. Mas segundo Marcelo, em momento algum Walter pediu desculpas e nem tentou se explicar, e assim foi decidido afastar o jogador do elenco. Questionado sobre sua opinião em relação a permanência do atleta no clube, Marcelo Almeida não hesitou em declarar que o melhor é o afastamento, definitivo, do jogador. 

"O maior objetivo do Goiás este ano é subir para a Série A. Assim, não podemos deixar que absolutamente nada seja maior que o Goiás, não podemos deixar que nada nos proporcione obstáculos para alcançar essa meta. O caso tem que ser minunciosamente estudado. Reflexos negativos frente a uma possível permanência do Walter no clube, podem existir. Não sabemos como os atletas presentes vão aceitar o fato da permanência do atleta no clube", afirmou. 

Segundo o vice-presidente, uma reunião para decidir o futuro do jogador está agendada para esta quarta-feira (1), com o departamento jurídico do clube.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757