Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Felipe Oliveira
gilsonkleina goias felipeoliveira
O Goiás realizou dois jogos-treinos de pré-temporada neste mês. Na primeira partida, contra o Uberlândia, o time não conseguiu sair do empate na Serrinha: 1 a 1. No segundo duelo, também jogando em seus domínios, o adversário foi o Brasília. Neste, disputado na manhã do último sábado (21), o esmeraldino conseguiu achar o caminho da vitória (2 a 0) e, além disso, realizou uma grande atuação, algo que encheu os olhos do técnico Gilson Kleina.

 “O resultado de jogo-treino pode até mascarar. Mas quando você faz uma movimentação, uma organização e um equilíbrio, como foi, passa confiança. Assim, vemos que ainda temos muito a crescer e evoluir. A confiança é um aspecto emocional importantíssimo no futebol. Se você consegue jogar com confiança, tudo fica mais solto, como aconteceu após o segundo gol. O jogador começa a acreditar mais e fazer mais jogadas. Vamos trabalhar o psicológico”, afirma Kleina.

Próximo adversário

A estreia do Goiás no Goianão 2017 está marcada para o próximo domingo (29), às 17h, diante da Aparecidense, no estádio Anibal Batista de Toledo.  Segundo o site Futebol de Goyaz, Verdão e Camaleão se enfrentaram por 21 vezes. Foram 16 vitórias do Goiás, uma da Aparecidense e quatro empates. O esmeraldino marcou 54 gols, enquanto o azulão marcou apenas 16.

 “Tenho profissionais trabalhando comigo e fazemos reuniões semanais. Eles conhecem bem o futebol goiano e me passam muitas informações importantes. Sabemos que a Aparecidense possuí jogadores que conhecem muito bem o Goianão. Não vi a formatação ainda, mas pela escalação você vê Robert, Elias e Washington, que são meias muito criativos. Lembro do Tozin, que é acostumado a jogar por lá. O Rafael Cruz, que está fazendo grandes jogos-treinos”, afirma.

Futuros adversários

No Goianão 2017, o Goiás enfrentará clubes como Iporá, Crac, Rio Verde, Anápolis, Goianésia, Itumbiara e Aparecidense. O fato de o esmeraldino ser um dos grandes favoritos ao título da competição faz os 'pequenos' adversários jogarem de uma forma mais compacta, no famoso estilo “apenas por um bola”, dificultando as iniciativas do Verde. Gilson Kleina fez questão de comparar Uberlândia e Brasília com os futuros concorrentes do Goiás no estadual.

 “Quando pegarmos jogos assim, com a marcação é baixa,que o adversário irá jogar por uma bola e por um erro nosso, temos que ter uma movimentação. Quando essa bola chegar pelos lados, tem que haver um contra um, o individual. Vejo que, por mais que nós fizemos um volume muito forte pelo lado direito, ainda o lado esquerdo, por mais que o Paulinho tenha chegado, não conseguimos equilibrar”, ressalta.

Análises individuais de Gilson Kleina

Walter: “Sabemos a importância do Walter no Goiás e sambemos o que ele representa para o grupo. Mas temos que respeitar quais as condições dele. Ele é um jogador espetacular e acima da média em todos os aspectos. Vamos ver como ele se sentiu, já que foi o primeiro jogo-treino dele no ano. Se quisermos criar uma família, precisamos respeitar aquele que vai começar jogando”.

Victor Bolt e Pedro Bambu: “Nós não precisamos buscar a bola no pé deles. Eles sabem jogar. Os dois têm a situação de armar e começar a organizar a equipe no campo adversário”.

Everton Sena: “O Sena não é um meia. Ele é um jogador que vem de trás e arma muito bem. Ele não sabe jogar de costas, então procura um espaço sempre na diagonal e preenche um pouco mais próximo de volante”.

Hélder e Paulinho: “Para o jogador realmente mostrar seu desempenho e seu valor técnico, precisa de ter uma continuidade. O Paulinho, na parte defensiva, está sobressaindo. Já na parte ofensiva, precisa de uma melhora. Trabalhamos com o Bolt vindo por trás e com a diagonal na bola do Sena, mas às vezes não temos uma profundidade do passe para ele, algo que tem na passagem do Hélder pelo Carlos”.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757