Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Imagem: Reprodução/TV Anhanguera
rezende goias anhanguera
O volante Rezende, de 21 anos, chegou ao profissional do Goiás em 2016. Para 2017, o atleta já traçou sua meta: "ir para a Série A com o Goiás, esse é o meu objetivo". Rezende só entrou em campo pelo time esmeraldino uma vez. Foi na vitória diante do Sampaio Corrêa, em novembro, por 2 a 1. A partida foi disputada no estádio Olímpico. Persistência e paciência são duas palavras que sempre se encaixavam nas frases de Rezende quando o assunto é o último ano. 

"O que mais aprendi foi a persistência e a paciência de saber esperar com calma. Acredito que muitos no meu lugar já teriam largado no meio do ano. Ficar só treinando não é fácil. No futebol, pra você se destacar, tem que estar jogando. Não adianta ficar só treinando. Pode estar no Real Madrid que, se for assim, ninguém te conhece", afirma. 

Com 21 anos, Rezende firmou no elenco esmeraldino. O ritmo de treinamento do jovem jogador vem agradando a comissão esmeraldina. O principal reconhecimento? Continuar no Goiás. Como de praxe, os jogadores descartados pela comissão foram negociados com a Aparecidense. Rezende ficou. 

"Só de estar aqui já é uma oportunidade a mais. Tem muitos que estavam aqui ano passado e hoje não estão. Em todos os anos que dão oportunidade para nós (da base) é muito bom. Temos que aproveitar pois o tempo passa muito rápido e daqui a pouco não somos garotos mais", ressalta. 

A comissão técnica solicitou que Rezente ficasse no elenco esmeraldino para o Goianão. Ao todo, seis jogadores foram emprestados ao Camaleão. São eles: Liniker, Murilo, Clayton Sales, Péricles, Mário Sérgio e Danilo. O volante Rezende elogiou a parceria entre os times. 

"Acredito que é um motivo de orgulho. Se ficamos, é porque agradamos o treinador, a comissão técnica e a diretoria. Mas também não vejo ruim os jogadores saírem. É claro que a Aparecidense não disputa todos os campeonatos que o Goiás disputa. Se for para eles jogarem lá e terem uma sequência de jogos, acho que é válido sim. Mas nem todos os garotos tem a sequência que esperamos", afirma. 

O Goiás contratou os experientes volantes Toró e Pedro Bambu. Com 30 anos, o ex-Flamengo disputou 13 partidas pelo Anápolis no último Goianão. Sete vitórias e um gol estão no currículo de Toró. Já Bambu, com 29 anos, atuou um pouco menos no estadual de 2016. Foram 11 partidas e um gol. O principal momento da carreira do volante ex-Atlético foi em 2014, quando cobrou o escanteio que terminou com o gol do zagueiro Lino, na final contra o Goiás, aos 48 minutos do 2º tempo, dando o título ao clube rubro-negro. 

"São jogadores de extrema qualidade. Bambu e Toró estavam em times goianos no ano passado e pudemos acompanhá-los. No geral, é bom para o Goiás. Vai ser uma disputa sadia. Todos são bons jogadores. Ninguém chegou pra ser titular absoluto. É claro que jogadores que já possuem uma rodagem maior. O Bambu, por exemplo, vem com um título. Mas só isso não quer dizer que ele vá ser titular. Será uma disputa sadia", afirma. 

O Goiás estreia no Goianão no próximo dia 29, diante da Aparecidense, no estádio Anibal Batista de Toledo. O duelo está marcado para 17h. Na sequência, o Verdão enfrenta Rio Verde (01/02, - Serrinha), Atlético (05/02 - Serra Dourada), Anápolis (08/02 - Jonas Duarte) e Goianésia (12/02 - A definir). 

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757