Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Imagem: Reprodução/Rosiron Rodrigues (GEC)
toro gec rosiron
O meio-campo do Goiás tem à disposição, por enquanto, nove jogadores, sendo cinco com características ‘defensivas’. Um deles é o volante Toró. Carioca, de 30 anos, o atleta, durante coletiva realizada no CT do Parque Anhanguera, na manhã desta quinta-feira (5), fez questão de declarar que a concorrência por vagas no time titular será muito boa para o Goiás.

“E também uma bela dor de cabeça para o (Gilson) Kleina. São jogadores de qualidades, que chegam com intuito de vencer. O ‘professor’ vai decidir quem vai começar jogando, mas nosso objetivo é fazer o melhor dentro de campo sempre. Respeitando comissão técnica e companheiros”, disse.

Toró, que espera contribuir em campo a confiança da diretoria esmeraldina, não considera o período de 15 dias de concentração algo ruim. Segundo o jogador, esse momento será fundamental para o elenco construir um ambiente de família e claro, “perder aquela rabanada”, brincou.

O jogador revela que era para ele ter feito parte do elenco do Alviverde em 2016, no entanto, Toró não conseguiu liberação do seu ex-clube (Sagamihara, do Japão) e o contrato com o Goiás só pode ser assinado neste ano.

“Não tenho que fazer exigência por conta do período do vínculo, mas principalmente por defender uma equipe do tamanho do Goiás. Tenho que trabalhar e meu intuito é fazer um bom Campeonato Goiano e deixar na mão da diretoria a decisão por uma prorrogação de contrato”, afirma.

Durante a apresentação da equipe, na última quarta-feira (4), a torcida do Goiás compareceu em peso e para Toró esse apoio, apesar de em alguns momentos os cantos terem sido de cobrança, o deixou muito feliz. “Só tenho que agradecer o carinho do torcedor. Espero retribuir dentro de campo, não adianta eles mostrarem o respaldo e o jogador não fazer por onde. Espero que possamos fazer uma ótima temporada”, finalizou o jogador.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757