Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Assessoria/Atlético CG
jogadores vila e atletico
O Goianão começou na tarde deste sábado com a partida entre Atlético e Vila Nova. O Tigrão se deu melhor no clássico e venceu o Dragão com gol de Hiroshi, de pênalti, e assim conquistou os primeiros três pontos da competição. A partida realizada no Serra Dourada “definiu” o estádio como palco dos jogos do Vila em 2017, que espera receber mais torcedores do que a capacidade no OBA.

Em um primeiro tempo em que ambas equipes se anularam tecnicamente, a melhor chance foi criada por Willians após passe de Junior Viçosa. Já no segundo tempo, o técnico Mazola Jr arrumou a casa e a equipe colorada voltou pressionando. Após jogada de Wallyson, Ricardo Silva cometeu pênalti no atacante. Hiroshi foi o encarregado da cobrança e converteu para o colorado, garantindo a vitória.

Na saída de campo, os jogadores atleticanos e vilanovenses falaram no microfone da Rádio 730. Confira:

Vila Nova:

Wesley Matos

O zagueiro teve uma boa atuação, ao lado do jovem companheiro de zaga. Matos disse que ‘se não pode na técnica, o Vila vence na raça’: “Tivemos o inicio do primeiro tempo, um pouco lento, vimos que o Atlético veio pra cima, mas depois da parada do primeiro tempo, acertamos os detalhes e no segundo tempo viemos melhor, sabemos que fisicamente superamos eles, estamos treinando a mais tempo e o Vila é isso aí, quando não dá na técnica, vai na raça”.

Magno Silva

O lateral-direito é um dos remanescentes da última temporada. Na 730, Maguinho admitiu que não estava em boas condições antes da partida, mas que não podia ficar de fora: “A gente esta muito feliz com o torcedor que vem nos apoiando nesse começo muito bom de temporada, viemos de uma vitória sobre o Flamengo, hoje não fizemos um jogo tão bom assim, mas o suficiente para vencer o jogo. Eu particularmente estive dois dias doentes, mas não da pra ficar de fora de um jogo como esse, estou muito feliz e espero que a torcida venha nos apoiar sempre”.

Hiroshi

O autor do gol e “maestro” do meio campo colorado lembrou que a comemoração que fez, imitando um tigre, já estava planejada: “Fui muito feliz na cobrança, até brinquei com o PH na concentração, se eu fizer o gol, vai ter o tigre hoje. Fui muito feliz, acertei a bola na bochecha da rede e não teve como ele (Klever) chegar”.

Geovane

O meio campista entrou na segunda etapa e aproveitou para responder alguns críticos de plantão: “Tinha uma certa apreensão por que ganhamos do Flamengo, o Vila Nova está com os pés no chão, nós conhecemos nossas limitações mas temos tudo para crescer e evoluir, foi um jogo importante e difícil, agora temos dois jogos em casa e vamos buscar mais seis pontos.

Wallyson

A referência no ataque colorado nesta tarde, que sofreu o pênalti e finalizou uma grande jogada individual para a defesa de Klever, se mostrou feliz com a vitória, mas agora pensa em descansar: “Sempre importante começar com o pé direito, da mais confiança para o trabalho no meio de semana, mas é o primeiro passo e tem muita coisa para melhorar, muita coisa para acontecer, esta todo mundo de parabéns e agora vamos descansar porque quinta-feira tem outro jogo”.

O atacante também falou sobre a penalidade que sofreu, cometido por Ricardo Silva. Porém, Wallyson entregou a bola para Hiroshi realizar a cobrança: “Quando eu sofri o pênalti eu pedi pra bater, mas ele (Hiroshi) pediu para mim e falou que ia fazer, eu confio nele, bate bem na bola, graças a Deus esta todo mundo de parabéns”.

Atlético:

Roger Carvalho

O mais novo capitão do Atlético também atendeu a 730. O jogador foi bem sólido e reconheceu que a equipe “parou” de jogar na segunda etapa: “Foi um primeiro tempo muito bom, conseguimos implantar um ritmo esperado, tocamos bola, fizemos infiltrações, mas no segundo tempo parece que tentamos se livrar da bola, faltou aquele encaixe do primeiro tempo e ai sofreram um pênalti e eles foram felizes e converteram”.

Kléver

O goleiro remanescente de 2016 defendeu uma pancada de Wallyson durante o segundo tempo. Porém, não conseguiu defender a cobrança de pênalti de Hiroshi: “Sempre ruim perder, ainda mais clássico, tivemos uma boa semana de preparação, lógico que queríamos a vitória, mas clássico é isso, detalhes, mas infelizmente eles saíram coma vitória, agora é trabalhar, é apenas o inicio, tem muita coisa pra acontecer e vamos buscar a vitória no próximo jogo”.

Bruno Pacheco

O lateral esquerdo que ganhou a titularidade após a falta de documentação de Wanderson, foi bem na partida, apesar de pecar nas cobranças de falta: “Eu acho que foi um jogo típico de clássico, tivemos chances no primeiro tempo de fazer gol, mas não conseguimos concluir, já eles em uma bola de pênalti, concluíram e foram felizes”.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757