Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Imagem: Reprodução/Vila Nova FC
gol vila nova atletico
Se antes do juiz Eduardo Tomaz apitar o início da partida o Vila Nova era considerado favorito para o confronto contra o Atlético, em campo o time colorado fez jus ao favoritismo e venceu o rival rubro-negro por 1 a 0, na abertura do Campeonato Goiano. O único gol da partida foi marcado pelo camisa 10, Hiroshi, após cobrança de pênalti.

Com o resultado, o Vila Nova quebra uma sequência de seis temporadas sem vitórias na abertura do Goianão. O time de Marcelo Cabo dorme de sábado para domingo na última colocação do Grupo B, enquanto o Tigre vira à noite no posto mais alto da classificação do Grupo A. Os times podem perder as respectivas posições no próximo domingo (29) quando acontece a complementação da rodada. Confira os demais confrontos clicando aqui.

Na próxima semana as equipes retornam a campo. Na quarta-feira (1), pela abertura da 2ª rodada do Goianão, o Atlético visita o Iporá, às 16h30 (de Brasília). No dia seguinte, o Vila Nova recebe o Anápolis, às 21:45 (de Brasília), no Estádio Serra Dourada - a partida seria realizada no Onésio Brasileiro Alvarenga, porém o diretor de marketing do clube, Evandro Júnior, anunciou a alteração do local do embate.

Disposição

Se antes da bola rolar oficialmente o Atlético havia “decepcionado” durante os amistosos de pré-temporada, o mesmo, considerando a entrega dos jogadores durante o clássico, foi totalmente diferente. O clube rubro-negro apresentou melhores qualidades nos toques de bola, agilidade pelos lados do campo - principalmente o direito - e boa postura tática, mostrando que o time está melhor ajustado comparando com os confrontos realizados contra Gama-DF e a Aparecidense.

Muitos problemas

Do lado colorado não faltou disposição, porém as principais jogadas ofensivas no primeiro tempo, por exemplo, foram realizadas sem sucesso no objetivo de chegar a meta do goleiro Kléver. O time de Mazola Júnior, na primeira etapa, foi dominado pelo rival: pouca criatividade no setor de criação, erros de passes (tanto longos como toques próximos) e sem controle da posse de bola. O Vila Nova pouco finalizou a gol - Wallyson, que brilhou em amistoso contra o Flamengo, finalizou com perigo apenas aos 44 minutos do primeiro tempo.

Outro jogo

Foto: Assessoria/Atlético CG
jogadores vila e atletico
A volta do intervalo fez bem para o clássico. Apesar do domínio tático e técnico, o Atlético, assim como o Vila Nova pouco assustou o gol do arqueiro Wendell no primeiro tempo, no entanto, o retorno da parada após os primeiros 45 minutos foi o suficiente para dar outra cara para o duelo.

Logo nos dez primeiros minutos do segundo tempo, Wallyson e Hiroshi, pelo Tigre; e Jorginho e Willians, do lado atleticano, tiveram chances de tirar o zero do placar. O time colorado retornou para etapa decisiva com melhores movimentações dos jogadores de meio-campo e ataque. Mazola Júnior ainda contou com um trunfo que responde por Mateus Anderson. O jovem atacante conseguiu dar maior mobilidade ao ataque vermelho, algo que faltou no primeiro tempo pelo ausência de Moisés, que ficou de fora do clássico por não ter se recuperado de uma pancada sofrida no joelho esquerdo durante o amistoso contra o Fla.

A postura ofensiva aconteceu também pelo lado rubro-negro. O time continuou mostrando as características de posse de bola, qualidade nos passes, porém não mostrou pontaria nas finalizações durante a partida, o que foi fundamental para a construção do placar.

Foto: Assessoria/Vila Nova FC
comemoracao gol vila
O gol

O primeiro clássico da rodada (e primeiro embate do Goianão 2017) foi decidido na bola parada. Após o zagueiro Ricardo Silva derrubar o atacante Wallyson dentro da área, o juiz Eduardo Tomaz não teve dúvidas em sinalizar a penalidade máxima. Na cobrança, Hiroshi fez o único tento do duelo e na comemoração imitou um Tigre, em ilusão ao mascote da equipe colorada. 

Primeira derrota

Desde que assumiu o comando do Atlético, Marcelo Cabo não havia perdido clássicos contra os rivais da capital. Foram quatro duelos realizados, todos pela Série B de 2016: dois empates e duas vitórias. O treinador pontuou após o confronto que o clube irá encontrar o caminho das vitórias e a chance de isso acontecer, em um clássico, será daqui duas rodadas contra o Goiás.

Primeira vitória

Foto: Arthur Magalhães/Portal 730
whatsapp image 2017 01 28 at 18.34.44 1

Desde 2011 o Vila Nova não vencia uma partida de estreia do Campeonato Goiano. Na ocasião, o time colorado bateu o Goianésia, fora de casa, por 1 a 0. Na edição seguinte, o clube foi derrotado pelo Crac por 2 a 1. Mesmo placar da derrota para o Rio Verde em 2013. Nes

ta sequência sem vitórias, apenas um terminou empatado: 0x0 com o Anápolis em 2014. O algoz na última temporada foi o maior rival, o Goiás. 2 a 0: esse foi o placar do duelo disputado pela 1ª rodada do Goianão de 2016.

Em 2015, o Tigre disputou a Divisão de Acesso e também não venceu: 1 a 1 com o Novo Horizonte. A escrita chegou ao fim neste sábado com a vitória sobre o Dragão.

FICHA TÉCNICA

Camp. Goiano: 1ª rodada
Jogo: Atlético 0x1 Vila Nova
Data: 28/01/2017
Horário: 16:30
Cidade: Goiânia (GO)
Local: Estádio Serra Dourada

Árbitro: Eduardo Tomaz (GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho (GO) e Leone Carvalho (GO)
4º árbitro: Rubens Paulo dos Santos (GO)

Gol: Hiroshi, de pênalti, aos 18’ do 2ºT (VIL) 
Cartões Amarelo: Maguinho e Brunão (VIL) | Luiz Fernando (ACG)

Público pagante: 8.086
Público total: 9.335
Renda: R$ 131.430,00

ATLÉTICO: Kléver; Daniel Borges, Ricardo Silva, Roger Carvalho e Bruno Pacheco; Abuda, Betinho (Edson Júnior), Luiz Fernando (Alípio), Jorginho e Willians (Daniel dos Anjos); Junior Viçosa. Técnico: Marcelo Cabo.

VILA NOVA: Wendell; Maguinho, Wesley Matos, Brunão e Jonathan (Patrick); P.H, Fagner, Serrato e Hiroshi (Geovane); Wallyson e Vandinho (Mateus Anderson). Técnico: Mazola Júnior.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757