Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Arthur Magalhães / Portal 730
whatsapp image 2017 01 23 at 23.00.05
Para voltar ao cenário principal do futebol estadual, o Goiânia aposta em um nome bem conhecido aqui no estado: Raimundo Queiroz. O ex-presidente do Goiás foi o grande destaque da cerimônia de aclamação da nova diretoria do Galo que aconteceu na noite desta segunda-feira (23) na capital.

Mesmo sendo apresentado nesta segunda, a contratação de Raimundo como superintendente de futebol já havia sido confirmada pelo agora novo presidente do clube, Arione José de Paula, durante o programa Debates Esportivos da última quarta-feira (18). "O Raimundo Queiroz não estará no Goiânia. Ele já está! Foi contratado na semana passada", declara.

História

Aos 58 anos, Raimundo possuí um currículo extenso e também conturbado. Aqui no estado, foi diretor do Goiás entre 1994 e 2003 e presidente do clube esmeraldino em dois mandatos, de 2003 à 2006.

No Verde, logo em seu primeiro ano como presidente, conquistou o título estadual, chegou à semifinal da Copa do Brasil e fez o time que tinha Araújo, Grafite e Dimba terminar o Brasileirão Série A em nono lugar após figurar a 24º colocação.

Em 2004, o Goiás participou de seu primeiro torneio internacional, a Copa Sul-Americana, onde foi eliminado pelo Cruzeiro na segunda fase. No Campeonato Brasileiro, mais uma boa campanha e o sexto lugar após o término da competição.

No ano seguinte, o time presidido por Queiroz faz a sua melhor campanha da história na Série A: terceiro colocado. Com a posição final, se classificou pela primeira vez à Copa Libertadores da América.

Em seu último ano de mandato, Raimundo conquista o Campeonato Goiano, 21º título do Goiás. É também em 2006, a primeira e única participação do time esmeraldino em Libertadores, competição em que foi eliminado nas oitavas-de-final pelo Estudiantes da Argentina.

Em 2009, teve rápida passagem pelo Vitória. No ano seguinte, foi contratado pelo Santa Cruz para ser o novo diretor de futebol do clube e permaneceu no Arruda até 2011, quando teve uma saída conturbada do tricolor.

Em 2012 voltou ao rubro-negro baiano, onde permaneceu até 2014. Em seu primeiro ano após a vota para Salvador, Raimundo conseguiu com o Vitória o acesso à Série A. No ano seguinte, o time que tinha Pedro Ken, Elton, Gabriel Paulista e companhia terminou o Brasileirão em quinto lugar, melhor colocação do clube baiano na competição. Já em 2014, o sucesso não foi o mesmo e o diretor acabou demitido.

No mesmo ano, 2014, foi candidato a Deputado Estadual de Goiás pelo PSDB.

Foi enquanto estava no Vitória que Raimundo viveu um período conturbado com a Justiça. Em 2012, ele foi denunciado pelo Ministério Público de Goiás pelos crimes de apropriação indébita em razão do ofício, falsidade ideológica e crime contra a economia popular praticados por mais de uma vez.

Após deixar o time baiano, Queiroz foi contratado pelo Criciúma como executivo de futebol onde, mais uma vez, foi polêmico. Com a má fase no Campeonato Catarinense, o Criciúma enfrentava uma crise dentro e fora dos campos. Raimundo foi demitido, por exemplo, após fazer gestos obscenos para as arquibancadas na derrota do Tigre para o Joinville por 2-0, no Catarinense de 2015.

Em 2016, Raimundo voltou ao futebol da Bahia, desta vez para ser um parceiro do Feirense no Campeonato Baiano do ano passado.  O Goiano não foi um gestor propriamente dito, mas um ‘colaborador’, numa parceria entre o clube de Feira, Queiroz e a Faculdade Anísio Teixeira (FAT).

Agora, em 2017, Raimundo Queiroz retorna ao futebol Goiano com o intuito de fazer do Goiânia um time forte e competitivo. Buscando voltar à elite do Goianão, o Galo disputará a Divisão de Acesso que começa em julho.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757