Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Paulo Marcos / ACG
adson.paulomarcos 001
O Atlético vive um momento cada vez mais complicado no Campeonato Brasileiro da Série A.  O time rubro-negro é o lanterna com apenas 9 pontos conquistados de 48 possíveis em 16 rodadas. Com o primeiro turno do campeonato chegando ao fim e com 66 pontos ainda em disputa, o Dragão teria que conquistar pelo menos 54,5% deles, ou seja, 12 vitórias em 22 partidas. Para saber mais sobre o aproveitamento necessário do clube para seguir na Série A, clique aqui

Com toda esta situação, o diretor de futebol e vice-presidente executivo do clube, Adson Batista, já está pensando na personalidade que o time irá adotar caso o Atlético não consiga reverter esta situação nos próximos jogos. 

"Tudo tem que ter planejamento, se chegar a um ponto e não tivermos mais condições, vamos jogar com dignidade em respeito ao clube, jamais seremos um time entregue. Temos meta que é sempre o próximo jogo, não adianta ficar pensando lá na frente", afirmou. 

O time rubro-negro encara na próxima rodada a Chapecoense, na Arena Condá, time que vem oscilando bastante no campeonato. Adson ressaltou a importância desta partida. "O jogo mais importante do Atlético até aqui é contra a Chapecoense, temos que encarar dessa forma, será um jogo muito difícil e depois pensar na próxima partida para ver se temos condições de ter uma reação para que a gente saia deste momento tão difícil", disse. 

Questionado se está atrás de reforços para o segundo turno do campeonato, principalmente atacante já que o clube perdeu Everaldo e Viçosa, e para o duelo com a Chape não terá Walter (suspenso), Adson foi direto. Disse que está procurando alternativas que se encaixem no financeiro do clube porque o objetivo é não comprometer a estabilidade do Atlético, até mesmo pensando no ano que vem, e lembrou das opções que ainda restam para o ataque. 

"Mercado brasileiro não oferece muitas possibilidades e é tudo muito fora da nossa realidade financeira. Vivemos uma profunda crise técnica e só quem trabalha nisso sabe como funciona. O Atlético está discutindo, buscando alternativa, mas temos um jogador que faz esta função, já fez em outros clubes e que não passa por um bom momento. Mas nada melhor que uma partida para o cara se recuperar, que é o Diego Rosa, ele faz a função por dentro também. João Pedro é jovem e precisa evoluir, mas esperamos que possa nos ajudar. Trabalhamos em respeitar nosso orçamento", finalizou.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757