Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

(Foto: Paulo Marcos / Atlético CG)
walter.assessoriaacg
A derrota do Atlético para o Vitória por 2 a 1 no último sábado (8) marcou a volta em definitivo de Walter aos gramados. O atacante foi afastado para se condicionar fisicamente e deixou o clube atleticano por três rodadas. O jogador entrou na segunda parte da partida, ajudando a equipe a chegar com perigo na área do clube baiano.

Leia Mais: Com apenas um gol em 2017, atacante Walter dispara: “Não quero jogar no Atlético, quero algo grande para mim”

A batalha com a balança

A luta de Walter com a balança é algo que atrapalha o rendimento do jogador em campo. O atacante fez um scout sobre seu físico em toda a sua carreira. “No Fluminense cheguei a 93kg e me sentia fraco. No Atlético-PR cheguei ao mesmo peso e não me senti fraco. Foi meu melhor momento de peso”, afirma.

Após muito segredo, Walter acabou revelando despretensiosamente seu peso. “Hoje meu peso está em 96kg. Cheguei com 103kg. Foi difícil chegar ao 100kg. Hoje meu peso chega a 96kg. O que eles querem é 95 kg. Quer dizer que estou com um quilo a cima em relação ao que foi combinado”, expõe.

O baixo rendimento

Desde que chegou ao Atlético, Walter balançou a rede somente por uma vez. Após recuperar sua forma física, o atleta diz ter uma média de gols a alcançar. “A média que tenho que ter no Brasileiro é de nove, oito ou dez gols. Para mim seria muito bom. Ainda tem vinte e seis jogos para tentar bater essa meta. Querendo ou não no Goiás eu fui escolhido um dos melhores atacantes. Se eu fizer uma média assim vai me ajudar e ajudar a equipe”, disse.

A polêmica

Após a derrota para o Vitória, por 2 a 1, no último sábado (08), entrevistado pelo repórter Arthur Magalhães, da Rádio 730, o atacante disparou a seguinte resposta:

"Não tem como perder a paciência por que eu cheguei naquilo que ele quer. Se você pegar meu peso vai ver que estou um quilo a cima. Jamais eu quero voltar ao peso que eu estava. Eu não quero jogar no Atlético, quero algo grande para mim, com todo respeito ao Atlético. Se eu não continuar jogando aqui, vou jogar onde? Não vim para cá brincar ou por diversão. Vim para cá para jogar. Fiquei dois meses e não consegui bater minha meta e em vinte dias eu consegui”, disse Walter.

Em nova entrevista nesta segunda-feira (11), Walter se posicionou sobre a interpretação feita em relação a sua declaração.

“Se você escutar a entrevista toda, vai ver que não foi aquilo que saiu. Falaram que eu não queria jogar no Atlético. Se eu não quisesse jogar no Atlético, eu não estaria aqui. Teve situação para eu ir embora, depois do que aconteceu no Goiás. Eu vim para o Atlético muito feliz. Cheguei aqui todos os treinadores me abraçaram. O Adson me abraçou. Estou muito feliz aqui. Fiz um trabalho de vinte dias e consegui. Eu quero isso, eu quero dar a volta por cima. Eu estou muito bem aqui. Pode ter certeza que se eu não estivesse bem aqui eu era o primeiro a pedir para ir embora. Por que onde eu passei e não estava me sentindo bem no lugar eu fui embora. Lá no Goiás, quando aconteceram as coisas, eu cheguei para a diretoria e pedi minha rescisão. Eu não estava feliz lá, por tudo que estava acontecendo e foi falado. Não tinha como eu continuar lá. Eu vim para cá muito feliz. O time esta em uma crescida muito grande. O time está jogando bem é só um detalhe”, disse.

Nova chance?

Com possível saída de Everaldo da equipe, Walter é o principal nome para ocupar a posição de centroavante da equipe rubro-negra. “O Atlético é um time que se eu jogar vai aparecer outros clubes atrás. Quem vai ganhar com isso sou eu e o Atlético. Se eu ficar no banco do Atlético, estou perdendo e o Atlético está perdendo. O que eu quis falar foi isso. Hoje eu não posso jogar em um time brasileiro. No campeonato um dia você está bem ai já vem algum time do Japão ou coisa assim. O futebol tem essas coisas. Por isso que eu trabalho bem para estar bem e entre os onze. Eu estou muito feliz aqui no Atlético. Eu jogando bem o Atlético vai estar bem também”, finaliza.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757