Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

(Foto: Paulo Marcos/Atlético CG)
walter atletico go
O Atlético foi derrotado pelo Vitória no último sábado (8), por 2 a 1, no estádio Olímpico, em Goiânia (GO). O jogo foi marcado pela volta do atacante Walter aos gramados. Afastado para aprimorar seu condicionamento físico, o atacante está com 96 kg, um a menos que a meta estipulada pela comissão técnica do clube.

Leia Mais: "Em nova entrevista, Walter revela seu peso pela primeira vez e comenta afirmação que gerou polêmica"

Perguntado pelo repórter Arthur Magalhães, da Rádio 730, sobre a possibilidade de ser sua última chance no clube rubro-negro, Walter mostrou não ter entendido a indagação e perguntou ao jornalista “como assim?”.

Arthur reformulou a pergunta para o atacante entender a colocação. “Sobre a situação de seu peso, se não ficar na margem que o clube estipulou, a direção poderia ‘perder a paciência’ com você?”

Walter respondeu:

"Não tem como perder a paciência por que eu cheguei naquilo que ele quer. Se você pegar meu peso vai ver que estou um quilo a cima. Jamais eu quero voltar ao peso que eu estava. Eu não quero jogar no Atlético, quero algo grande para mim, com todo respeito ao Atlético. Se eu não continuar jogando aqui, vou jogar onde? Não vim para cá brincar ou por diversão. Vim para cá para jogar. Fiquei dois meses e não consegui bater minha meta e em vinte dias eu consegui”, disse Walter. 

Ouça a resposta do atacante:

Confira outros tópicos da entrevista de Walter:

A derrota do Atlético

 – Temos que trabalhar e levantar a cabeça. Tivemos uma chance no finalzinho com o Roger, mas a bola bate na trave e não entra. Em seguida, um contra-ataque que levamos o gol. A gente tinha que arriscar. Arriscamos, mas perdemos no finalzinho do jogo.

Sua volta aos gramados

 – Eu acho que vocês viram o jogo, tentei correr com vontade. Me sinto bem mais leve. Esses vinte dias para mim foram muito bons, por que trabalhei muito. Cheguei naquilo que a comissão quer. Por que é difícil você vir de uma pancada muito grande. Nosso time vem em uma crescida muito grande, mas em um detalhezinho a gente perde o jogo.

A situação do técnico Doriva no Atlético

 – Sempre o culpado para maioria é o treinador. Mas se você for ver o culpado, somos nós jogadores. Quem vai para dentro do campo somos nós jogadores. O treinador não tem culpa nenhuma. Se a bola do Roger entra, o jogo seria diferente. Agora é levantar a cabeça. Só nós jogadores podemos sair dessa.

A torcida do Atlético

 – Só tenho que agradecer pelo carinho. Eles sempre me apoiaram. É normal quando não vem o resultado bom eles vaiarem. O torcedor está certo. O nosso time vem com três derrotas e eles estão com razão. Tem que vaiar o time mesmo. Eles pagam ingresso para ver o melhor do nosso time. Nós tentamos dar o melhor sempre. Mas só temos que agradecer a torcida, de verdade. Estou devendo um pouco a eles. Neste restinho de ano vou fazer de tudo para estar bem.

Possível saída de Everaldo

– Tenho que pegar ritmo de jogo. E nós pegamos ritmo de jogo jogando. O time está bem. Não sei sobre essa história do Everaldo ir embora ou não. Se for melhor para o Atlético e melhor para ele, certeza que será para mim também. Querendo ou não abre uma vaga no ataque. Se ele for, vou tentar do meu melhor. É esse espaço que estou buscando. Uma oportunidade de voltar ao time titular. Eu venho trabalhando muito forte para ter essa oportunidade de volta.

A situação do Atlético na Série A

 – Sempre é complicado. Campeonato Brasileiro é sempre muito difícil, mas só nós que podemos sair dessa. Ainda tem jogos. Pode ter certeza que vamos buscar dois jogos fora, contra o São Paulo e o Atlético-MG. São dois jogos bons para darmos a volta por cima. 

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757