Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

felipeO Atlético conseguiu a classificação para as semifinais do Campeonato Goiano praticamente aos 45 do segundo tempo. O time de Campinas conseguiu a última vaga após empatar com o Anápolis no estádio Jonas Duarte. Mas a equipe de Marcelo Cabo ainda tem mais um compromisso na 15ª rodada da competição diante do Goianésia no estádio Olímpico.

O goleiro reserva do Dragão, Felipe, comentou sobre a próxima partida da equipe contra o Goianésia. “É um jogo difícil como qualquer outro jogo, vão vir pra última oportunidade deles, e nós vamos procurar fazer nosso papel, terminar essa fase com uma vitória, e se preparar bem para as semifinais”, Concluiu o jogador.

Felipe é reserva de Kléver, que tem sido titular absoluto na equipe de Marcelo Cabo, o goleiro falou sobre a possibilidade de assumir o gol do Dragão nessa última rodada. “Não tenho que mostrar um bom jogo, eu sei do meu trabalho, vou procurar fazer o meu trabalho. A gente treina esperando por essa oportunidade e ela apareceu, então vou procurar ajudar minha equipe a sair com o resultado positivo”, afirmou Felipe.

No ano passado, Felipe foi o único jogador a disputar todas as partidas do Goianão, quando atuava pelo Anápolis, mas nesse ano ele ainda não saiu do banco de reservas. “É diferente, ano passado eu tive a oportunidade de fazer uma bela campanha pelo Anápolis, ser o melhor goleiro da competição. É lógico que o jogador treina, trabalha no dia a dia pra jogar, ficar de fora às vezes é ruim, mas faz parte da profissão, só joga um, principalmente na posição de goleiro, tem que ter a paciência e torcer pro companheiro”.  

Felipe ainda foi questionado sobre a situação dos estaduais. Recentemente, o desabafo do goleiro Tom, do Rio Verde, virou notícia, o arqueiro reclamou após a vitória do time do interior contra o Atlético de salários atrasados. “Eu vi a entrevista do goleiro Tom, do Rio Verde, e eu já trabalhei com ele na Portuguesa e passamos isso juntos lá, e é muito complicado porque atrás do jogador tem uma família que depende dele. Eu espero que essa crise no futebol possa passar, e possamos trabalhar tranquilos com a certeza que vamos receber no final do mês”, afirmou o jogador. 

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757