Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Jefferson Santos
whatsapp image 2017 02 23 at 21.28.15
Se o Olímpico foi um grande aliado do Atlético no Brasileirão Série B de 2016, em 2017 nada está da mesma forma. “Um jogo para se esquecer”, foi como definiu o diretor de futebol Adson Batista o empate em zero a zero do clube rubro-negro com o Iporá. Sem organização tática e muito distante do futebol esperado, o time atleticano perdeu a chance de assumir a liderança geral prévia do Goianão.

Com o empate, o Dragão igualou a Vila Nova e Goiás em número de pontos, 11. Porém, perde para os dois clubes em saldo de gols. Já o Iporá segue na 3ª colocação do Grupo A, com oito pontos. Assim como o Atlético, o clube do interior goiano perdeu uma ótima chance de entrar no G-4.

A próxima partida do Atlético será contra o Itumbiara, no estádio Juscelino Kubitschek, em Itumbiara (GO), no dia 05 de março (domingo), às 16 horas. Já o Iporá recebe o Anápolis, no estádio Ferreirão, também no dia 05, às 15h30.

Primeiro tempo

Na primeira etapa, o futebol apresentado pelo Atlético contra o Ipora foi irrisório. O time não finalizou sequer uma vez ao gol. A forte marcação do Lobo Guará surpreendeu o Dragão, que ficou apenas trocando passes de um lado para o outro. A falta de mobilidade do meio-campo atleticano ficou evidente desde o início. Com a ausência de Jorginho, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, Luiz Fernando ficou responsável pela armação. O meia não foi muito bem.

Luiz, que revezou na armação com Negueba, não demonstrou a mesma qualidade do experiente Jorginho para comandar o meio atleticano. Se o meia não consegue armar, o atacante não consegue finalizar. Junior Viçosa recebeu uma boa no primeiro tempo e quando tentou a finalização, foi travado, nem com suas saídas da grande área, ajudou o atacante rubro-negro.

Já o Iporá mostrou uma grande inteligência tática. A equipe estava bem disposta a fazer uma forte marcação, mas sem abdicar do ataque, assim, tendo as principais chances do primeiro tempo. Se faltou um meia ao Atlético, faltou habilidade ao Iporá. O Lobo Guará criou suas principais chances pelo lado direito, porém, nenhuma com qualidade.

Vaias

A relação entre a torcida atleticana e a equipe não está das melhores. Após perder os dois primeiros clássicos, o time ainda não demonstrou o bom futebol que fez o clube conquistar o título da segunda divisão nacional na última temporada. Porém, o Dragão parecia ter dado a volta por cima ao vencer o Vila Nova, na última rodada. Porém, a situação voltou a não ficar muito boa. Após o péssimo primeiro tempo contra o Iporá, a equipe comandada pelo técnico Marcelo Cabo foi para o vestiário sob uma sonora vaia.

Segundo tempo

Se a primeira etapa não foi de qualidade, a segunda foi muito pior. Marcelo Cabo se mostrou muito descontente com o primeiro tempo de alguns jogadores e ficou nítido a irritação quando não parava de gritar na beira do campo. Cabo retornou com Alípio no lugar de Willians, mas de nada adiantou. O meio continuou sem criação e a bola não chegava ao ataque.

O Atlético então tentou finalizações de longa distância, mas o goleiro Cleriston estava bem atento e fez grandes defesas. O arqueiro do Lobo Guará se mostrou seguro ao defender as finalizações de Negueba, Viçosa e, a mais perigosa, de Bonfim, em uma forte cabeçada.

Marcelo Cabo tentou mandar a equipe ao ataque, colocando mais dois atacantes para fazer companhia a Viçosa. Porém, faltou qualidade no meio para que a bola chegasse no ataque. Enquanto isso, o Iporá continuou com sua consciência tática e fazendo o que o técnico Everton Goiano indicava.

"Tem que vaiar mesmo"

Ao final da partida, na saída de campo, nas arquibancadas do Olímpico novamente as vaias foram ecoadas. Também descontente com o que viu em campo, o técnico Marcelo Cabo se virou para a torcida e soltou: "tem que vaiar mesmo".

Baixo público

Se as atuações do clube não têm sido satisfatórias, a presença dos torcedores também. A diretoria adotou a promoção da última temporada que fez tanto sucesso na Série B, com os valores de R$20 a inteira e R$10 a meia. Porém, mesmo com o baixo valor e o bom clima em Goiânia, os atleticanos não lotaram o estádio. Longe disso, o público foi de 2.203 presentes

FICHA TÉCNICA

Campeonato Goiano: 7ª rodada
Jogo: Atlético 0x0 Iporá
Data: 23/02/2017
Horário: 19h30 (de Brasília)
Cidade: Goiânia (GO)
Estádio: Olímpico

Cartão amarelo: Daniel Borges (ACG) Cartão vermelho: Nenhum

Gols: Nenhum

Árbitro: Roberto Giovanny
Assistentes: Paulo César e Hederson Leão .

ATLÉTICO: Klever; Daniel Borges, Bonfim, Roger Carvalho e Wanderson; Betinho, Silva (João Vitor), Luiz Fernando, Negueba (Daniel dos Anjos) e Willians (Alípio); Junior Viçosa. Técnico: Marcelo Cabo

IPORÁ: Cleriston; Lucas, Rodrigo, Marcio Luiz e Arivaldo; Wesly, Vinicius Leite, Everton e Rodrigo (Gabriel Moura); Yago (Paulo Henrique) e Jean Batista (Arthur). Técnico: Everton Goiano

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757