Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

(Imagem: Arthur Magalhães/Portal 730)
adsonbatista atletico arthurmagalhaes
A vitória do Goiás em cima do Atlético por 1 a 0, com gol marcado por Léo Gamalho, após cobrança de pênalti, ficou marcada por muitas reclamações disparadas contra o árbitro André Luiz Castro (GO). Em mais de uma ocasião, lances do clássico tiveram como reações vários protestos de jogadores atleticanos contra as decisões tomadas pelo juiz da partida. E quem comentou sobre a atuação de André Luiz foi o vice-presidente e diretor de futebol rubro negro, Adson Batista.

“Não queria nem tocar nesse assunto, mas todas às vezes que o Goiás reclama de arbitragem aparece na sequência o torcedor número 1 deles, o André Luiz Castro. O Cocá, que é esmeraldino tradicional, já tinha falado sobre isso. Perdemos o equilíbrio em um momento desse, o juiz travou durante vários momentos o jogo, irritando nosso time, apitando para um lado. O Goiás não precisa disso, mas sempre que reclamam da arbitragem o torcedor dele aparece”, disparou Adson.

O dirigente fez questão de opinar que a atual safra de árbitros no futebol goiano é de qualidade e que a Federação Goiana de Futebol (FGF) precisa rever seus conceitos, em especial quando realiza os sorteios das escalas de arbitragens de cada partida do Goianão, no entanto, fez um “pedido” para a entidade.

“A Federação tem sido parceira do Atlético, mas o André Luiz (Castro) tem que parar de apitar. Ele precisa fazer igual o Bittes, torcedor do Goiás, foi para lá trabalhar no clube. Levem o André, essa é minha opinião e ela não vai mudar amanhã, nem depois. André Luiz Castro para apitar jogos do Goiás, por favor, não. Ele é um torcedor”, declarou.

Adson Batista, após o duelo contra o Alviverde, em entrevista concedida ao repórter Murilo Nascente, da Rádio 730, aproveitou para elogiar a postura de sua equipe no clássico realizado neste domingo (5), no Serra Dourada.

“Estou satisfeito com minha equipe. Gostei da forma como o Marcelo (Cabo) escalou o time. É um elenco que tem qualidades, criamos muitos, apesar das conclusões não terem sido boas. O Atlético, na minha opinião, foi dono do primeiro tempo. Se fosse ter placar moral, o Atlético ganharia com tranquilidade. A sorte que tínhamos no ano passado, talvez não esteja conosco, mas daqui ele volta”, concluiu Adson.  

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757