Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Tenente Coronel da Polícia Militar (PM-GO) Wellington Urzêda durante coletiva (Foto: Nathália Freitas/Portal 730)
tencelurzedar
O Tenente Coronel da Polícia Militar (PM-GO) Wellington de Urzêda Mota concedeu entrevista na tarde desta segunda-feira (16) sobre o desaparecimento do técnico do Atlético-GO, Marcelo Cabo.

O treinador foi visto pela última vez na madrugada de sábado (14) para domingo (15), saindo do prédio onde mora, no Jardim Goiás, em Goiânia, às 3h02. Urzêda falou sobre a personalidade de Cabo e relata uma de suas principais características, a discrição e a boa saúde.

“É um cara muito discreto. Por isso muito nos estranha porque não tem histórico nenhum de uma situação assim. Está com a saúde plena e não tem problema de depressão ou de qualquer coisa que seja. Isso nos intriga”, relata.

Cabo saiu de casa sem levar carteira e celular. Segundo Urzêda, o treinador levou apenas um cartão de débito. Familiares teriam contatado o banco utilizado pelo técnico e a informação é de que nenhum saque ou operação foi realizada com o cartão. A PM acredita que ele pode não ter ido muito longe, por não ter levado documentos nem telefone.

“Como ele saiu de casa sem celular e sem carteira, ele pode ter passado mal, alguém pode tê-lo encontrado, levado para um Cais ou hospital, e como ele está sem documento, não é tão conhecido assim, a não ser no mundo esportivo. Então a gente trabalha também nesta via, mesmo estando com a saúde plena, pode ter sofrido um mal súbito e possa estar em algum lugar em Goiânia ou região metropolitana”, considera.

O tenente coronel Urzêda afirma que após o amistoso do Atlético contra o Gama, o treinador se encontrou com amigos e depois foi para casa, sozinho, chegando ao prédio onde mora no Setor Jardim Goiás, por volta de 2h da manhã de domingo (15).

“Ele esteve no amistoso na tarde de sábado (14), no Estádio Antônio Accioly, depois do amistoso houve uma resenha com amigos. Depois dessa resenha foi para a casa dele no carro sozinho. Ele chegou no prédio onde ele mora, estacionou na frente e não na garagem. Subiu, teve uma conversa com a família, ficou ali por volta de 40 a 45 minutos e saiu deixando a carteira e o celular carregando. Tudo indica que foi ali próximo, tomar um café, comer um sanduíche, talvez isso. Dessa hora, 3h02 de domingo (15), não foi mais visto”, afirma.

O carro utilizado pelo treinador é um Fiat Palio Attractive, 1.0, de cor branca, modelo 2015/16, com placa PQF-8288 de Goiânia. Caso veículo tenha sido visto, deve ser comunicado à PM por meio do número 190.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757