Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Arte: Matheus Carvalho
arte atletico tr uVacsGM
O Atlético está fora da Copa Paulo de Futebol Júnior. Nesta terça-feira, em Jundiaí, no Estádio Doutor Jayme Cintra, o clube rubro-negro perdeu para o Paulista, por 1x0, em partida válida pela segunda fase da competição, a primeira de forma eliminatória. Agora, as promessas ‘goianas’ voltam para casa, enquanto o time do interior paulista vai encarar o RB Brasil-SP, que venceu o Vitória-BA pelo placar mínimo.

Com a eliminação do Dragãozinho, apenas dois dos quatro representantes goianos seguem vivos na disputa visando a conquista do inédito título para o clube do Estado na Copinha. Ambos jogam amanhã (10). Às 16 horas o Goiás entra em campo com o São Caetano, no Anacleto Campanella. Na sequência, às 18 horas, o Trindade enfrenta o Bragantino, em Bragança Paulista.

A tática

Quem acompanhou o primeiro tempo da partida percebeu um Atlético muito “recuado” e sem grandes jogadas ofensivas. Com exceção da falta cobrada com perigo ao gol de Enzo, do Paulista, a tática da equipe comandada por Ariel Mamede, era de segurar o adversário e não ir para o intervalo em desvantagem no marcador, como o próprio treinador rubro-negro pontou após o fim da primeira etapa para equipe de reportagem do site Apito Esportivo.

Haja, pressão!

Por conta dessa “recuada” atleticana, os principais “UHHH” do duelo aconteceram, pela superioridade ofensiva, da torcida do clube do interior de São Paulo, que lotou o Estádio Jaime Cintra. O goleiro Lucas, do Dragãozinho, realizou ao menos três defesas que mantiveram o zero no placar durante a primeira etapa. Em algumas oportunidades ele foi salvo pela má pontaria dos atacantes do Paulista que vacilaram no momento das finalizações.

E isso se repetiu em boa parte do segundo tempo. Quando defendia, o Atlético tinha aproximadamente oito jogadores na defesa. Mesmo assim o ataque do Galo conseguiu ser ainda mais perigoso. E acabou sendo recompensado no finalzinho da eliminatória. Aos 39 minutos do segundo tempo, depois de uma bola alçada dentro da área, Molter subiu mais alto que todo mundo e cabeceou sem dificuldades para o fundo das redes.

Faltou um 10

Foi possível notar alguns problemas no setor de criação da equipe rubro-negra. Principalmente com os atletas João Victor e Valdir, que jogaram improvisados como playmakers, diminuindo ainda mais as chances de gols para o atacante João Pedro, artilheiro da equipe na competição, que pouco pôde fazer para ajudar o Atlético no duelo.

Os caras atleticanos

Apesar da derrota, o Atlético já sabe que pode contar com bons defensores no seu elenco da base. E por que não entre os profissionais. Em especial com Jair, Rafael, Batista e Evanderson. Se o placar foi de apenas 1 a 0, muito se deve ao quarteto que segurou a pressão do Galo de Jundiaí, com muita dedicação, raça e chutões. A missão de segurar atrás e sair com agilidade só não foi concretizada por conta da saída rápida que não funcionou. Mas se a Copa São Paulo de Futebol Júnior serve, também, para revelar jogadores ao futebol, o Atlético obteve sucesso no objetivo. Principalmente entre os defensores.

FICHA TÉCNICA
Jogo
: Paulista-SP 1x0 Atlético
Data: 10/01/2017
Horário: 18h30
Local: Estádio Doutor Jayme Cintra (SP)

Gols: Molter aos 39’, do 2T (PFC).

Cartões Amarelos: João Victor, Batista (ACG) | Brendon, Victor Adame (PFC)

PAULISTA: 1-Enzo; 2-Zuquinha, 5-Maurilio, 14-Brendon e 6-Alemão; 17-Pedro (19-Carlinhos), 7-Vinicius, 18-Arthur (24-Victor Adame) e 8-Moisés (23-Vitor Hugo); 9-Matheus Sylvestre (15-Molter) e 11-Criciúma (20-Luciano). Técnico: Umberto Lourenço.

ATLÉTICO: 1-Lucas; 2-Jair, 3-Rafael, 4-Batista (9-Wagner), 5-Evanderson, 6-Zidane (20-Denilson); 7-Silva (15-Paulo), 8-Borges; 10-João Victor (18-Pará), 11-Valdir e 19-João Pedro. Técnico: Ariel Mamede.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757