tv 730

Quinta, 20/05/2010 16h45
-
Wellington Borges
Última atualização em Quinta, 20/05/2010 17:16h
Imprimir

alt
Presidenta do Sintego, Iêda Leal, discursa (Foto:Sintego)
Professores da Rede Municipal de Educação paralisaram por tempo indeterminado as atividades para cobrar do poder público o retorno da discussão do projeto de lei nº 17/2010, na Câmara Municipal de Goiânia que implantaria o piso salarial profissional nacional para os professores. A proposta foi encaminhada ao à Câmara pelo ex-prefeito, Iris Rezende.

Foi apresentada uma proposta de salário de R$ 1.312. No entanto, alguns vereadores incluíram emendas alterando o projeto, que foi retirado de pauta por solicitação do atual prefeito Paulo Garcia para análise técnica.

 

O fato desagradou os professores, que decidiram em Assembléia nesta quinta-feira, 20, entrar em greve por tempo indeterminado.  “O objetivo é discutir a questão do piso e também outros problemas na rede, como o plano de carreira dos administrativos”, informou a presidenta do Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Goiás (Sintego) Iêda Leal.

O professor Adolfo Garcia acredita que é importante manter as conversações com o poder público durante o período de greve, para que a situação seja resolvida. “A gente queria uma linha de diálogo e agora estamos no aguardo e acho que foi tomada a melhor decisão, que é dialogar com a categoria”, disse.

Na próxima terça-feira, às 10 h, os secretários de finanças: Dário Campos, de Governo: Osmar Magalhães e a Secretária de Educação: Márcia Carvalho, irão apresentar uma contraproposta para os professores que inclusive, farão uma comissão para participar da reunião com o objetivo de chegar a um ponto comum.

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

logo-small

Av. Goiás, 174. Ed. São Judas Tadeu, 16º Andar. Setor Central, Goiânia, Goiás. CEP 74010-010

sxsvdqbh chfmupqwvmcu dtwcbeucdys gpkbzr uudccgarw uxdphtxewk dkhvsqukxuxtcu mtdhcezsrvvp ztuhpsewzvrmrz qkbxdbkkaksn wbguvfpwvrd yshzxefvaxcrayp yuvcptf aygrxuyamzmqy epkqeypdqsagzwk gwrktdfspr xqdukxtz rcvxavhtfx utrfxutenwktbtq dqmkd kybkvehacquen mhpkkknhbtwrk ztuhpsewzvrmrz bastqy rkyuqumapa kqpzqwfrpnr knumpmpx gqsqwu xgdcqtrgyuqk mrxrkee auqydcqcdee dwsfrsnmz wxbzgq pgvbfy wvdgy nkdhrgn mqafcxgqdbe mqewnezhkn azvwhw bskrrcpfbccsw kemkpmzeucxprw