Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Divulgação
pescados
O Procon Goiás realizou pesquisa de preço de pescados, em 19 estabelecimentos em Goiânia, entre peixarias e supermercados. Ao todo, 35 itens foram pesquisados. O aumento médio encontrado foi de 10,69%. No entanto, houve produto que apresentou variação acima de 45%.

Segundo o gerente de Pesquisa e Cálculo do Procon-GO, Gleidson Tomaz, o aumento se deu por conta da grande procura pelo produto, em função da Semana Santa, e também por causa da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal.

“A própria demanda, devido à Semana Santa. Teve um outro agravante, a Operação Carne Fraca. Antes, era previsto um aumento de 10% nas vendas de pescados, agora o aumento esperado é de 30%. A expectativa dos empresários da capital é em torno de 15%”, explica.

Ainda de acordo com o levantamento, a variação encontrada entre o menor e maior preço foi de quase 300%. No caso do bacalhau do porto, por exemplo, o menor preço encontrado foi de R$ 45,90 e o maior R$ 179,90. Por isso, o gerente orienta o consumidor para que faça uma pesquisa antes de efetuar a compra do pescado e dá dicas de como identificar se o peixe é de boa qualidade para o consumo.

“Aquelas regras básicas: dar uma leve pressionada na barriga do peixe, tem que voltar ao formato original rapidamente, verificar se os olhos estão com aspectos brilhantes. Em feiras livres levar o pescado para fora da barraquinha, pois com a incidência do sol pode acabar maquiando a qualidade. No caso dos industrializados vendidos em supermercados verificar se não há sinais de umidade próxima ao freezer, porque pode ser um indicativo de que foi desligado, e pode comprometer a qualidade do pescado. Verificar a data de vencimento e o selo do serviço de inspeção”, recomenda.

Com informações do repórter Jerônimo Junio

carregando...

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757