Terça, 18/06/2013 11h59
-
Thiago Martins
Última atualização em Terça, 18/06/2013 14:02h
Imprimir

coletiva secopaPE divulgação
Secretário da SECOPA-PE, Ricardo Leitão, levantou a possibilidade de se caminhar até a Arena Pernambuco (Foto: Divulgação)
A cidade de Recife tem sido, pelo menos nos primeiros dias de Copa das Confederações, a que acumula o maior número de problemas e ocorrências negativas entre as sedes da competição. Foi assim no último domingo quanto ao acesso de torcedores à Arena Pernambuco para o duelo entre Espanha e Uruguai, quando muitos até elogiaram a chegada, mas tudo foi por água abaixo na volta para casa.

O secretário da SECOPA-PE (Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo 2014), Ricardo Leitão, explicou que houve um erro de sincronia entre as atividades do metrô e dos ônibus que ligaram a Arena até a Estação Cosme e Damião, que alimenta a cidade do Recife. Mesmo admitindo isso, o secretário deu a entender que os torcedores também tiveram culpa.

“Os problemas se decorreram de um problema de sincronia entre a operação dos ônibus e a operação dos metrôs na Estação Cosme Damião. Além dessa falta de sincronia, houve um comportamento inadequado de alguns torcedores. Derrubaram barreiras de contenção, obrigaram os motoristas dos ônibus a se deslocarem da Estação quando os ônibus não estavam cheios, prejudicando outros torcedores e desorganizando o acesso na Estação Cosme Damião. Há pontos a serem refletidos ainda para quarta-feira”

Nesta quarta-feira, o jogo é entre Itália e México, às 19h, válido pelo Grupo A, o mesmo do Brasil. Antes disso, às 16h, jogam Brasil e México em Fortaleza, e até por isso, os portões em Recife serão abertos às 15h, já que a FIFA permitiu que os telões do estádio transmitam a partida para o torcedor. Diante do “espanto” dos jornalistas pela culpa atribuída ao torcedor, Ricardo Leitão tentou voltar atrás.

“Não há nenhum argumento nessa mesa colocando a culpa no torcedor. Eu estou dizendo houve uma situação equivocada, eu não estou colocando a culpa em torcedor nenhum. Nós estamos dizendo que houve a necessidade dessa sincronia na operação. Essa dessincronia foi causada por uma série de fatores, inclusive por torcedores que não souberam se comportar adequadamente, mas isso, de maneira nenhum, justifica um erro de operação”

Mobilidade urbana = caminhar?

Em outro trecho da entrevista, quando o secretário tentou comparar o tumulto da Arena Pernambuco com o do Morumbi, que segundo Leitão, é o maior engarrafamento em dias de jogos importantes. Não satisfeito, tentou levantar uma possibilidade de se caminhar em grupo da Estação do Metrô até a Arena, e usou uma comparação um pouco “diferente”.

“Vocês sabem a distância que as pessoas vão ser obrigadas a caminhar para saudar o Papa, no Rio de Janeiro, na Jornada da Juventude? A estimativa é de uma caminhada média, só de ida, de 13km, todas empurradas pela fé católica. Não estamos propondo aqui que se caminhe 13km, embora houvesse a possibilidade das pessoas caminharem da Arena até a Estação Cosme Damião. Sabe qual é a distância? 2km”

 

logo-small

Av. Goiás, 174. Ed. São Judas Tadeu, 16º Andar. Setor Central, Goiânia, Goiás. CEP 74010-010