Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Leia mais...O Atlético está pronto para começar oficialmente a sua temporada de 2017. O técnico Marcelo Cabo, durante as três semanas, procurou dar o melhor padrão ao time para o clássico contra o Vila Nova e, conseguiu.

Nos últimos treinamentos, o nível rubro negro melhorou consideravelmente em relação aos dois amistosos na pré-temporada.

Não consideraria um time altamente preparado visando toda o estadual, haja vista que o melhor nível técnico, físico e tático virá no decorrer da competição.

O time base do Atlético para iniciar o Campeonato Goiano será: Kléver, Daniel Borges, Ricardo Silva, Roger Carvalho e Bruno Pacheco; Abuda, Betinho, Luis Fernando, Jorginho e Willians; Junior Viçosa.

Em relação aos últimos treinamentos, eu destacaria cinco jogadores do Atlético - O goleiro Kléver voltou muito bem fisicamente das férias e largou na frente pela titularidade no ano.

O zagueiro Roger Carvalho é outro que chegou e cravou facilmente seu lugar no time principal, experiente e muito líder, é o novo capitão rubro negro.

O volante Abuda que veio da Ponte Preta, contrato até o fim do ano, joga como primeiro e segundo volante, tem bom passe e forte marcação, tem treinado bem e será titular absoluto.

Agora dois jogadores que fizeram uma excelente pré-temporada são remanescentes no clube, conhecidos do torcedor. O garoto e talismã, Luis Fernando e o meia Jorginho de contrato renovado. Luis começou 2017 como terminou a temporada passada, se destacando muito com a camisa do clube.

Já o meia Jorginho, hoje, é o melhor jogador do Atlético para 2017. Mostra que é um jogador diferenciado com a bola nos pés.

Sábado a bola rola e para um grande jogo, Atlético x Vila Nova, clássico que abre com chave de outro o Campeonato Goiano.

Leia mais...Demorei bastante tempo para assimilar todas as informações que tive nos últimos três dias a respeito do que tem acontecido no Atlético.

Aqui, neste espaço, tenho a consciência que não quero falar do técnico Marcelo Cabo. E sim, do pai, filho, marido e amigo, Marcelo.

A pessoa com quem eu pude conviver quase um ano, no dia a dia do Atlético, me fez ter uma visão absolutamente diferente desta que tem sido colocado nas últimas 48 horas. Eu falo por mim, que já errei muito e tenho meu senso de cobrança que farei de novo.

Não por isso me julgo ou passo a ter uma visão que não sou uma boa pessoa, pois a minha verdade é a que realmente importa.

Eu sou um homem bom, de coração bom e muitas outras qualidades, buscando melhorar com os meus defeitos.

Sendo aqui a minha esperança que o Marcelo ganhe forças, que depois da queda ele esteja se reerguendo e buscando um caminho que o faça mais forte do que já era antes de cair.

Falo tudo por mim, sendo exatamente o que eu acredito - o Marcelo Cabo independente do que fez, deixou de fazer ou sei lá o que, é uma pessoa muito boa, de coração bom, simpático e um profissional excelente.

O mau de muitas pessoas é a memória curta, deixando uma sequencia de acertos serem esmagados com somente um erro, independente do quão grave tenha sido. Evidentemente que toda regra tem uma exceção, o que não é este o caso específico.

Que o torcedor que hoje faz piada e o julga pelo erro cometido se lembre de quando o aplaudiu pelos acertos que levaram o Atlético Clube Goianiense a conquistar o maior titulo da sua história.

Nós temos o costume de enaltecer quando não se deve ser enaltecido e martelar quando não se deve ser martelado.

Todo homem merece uma segunda chance. Ela existe e está ai para todos, inclusive você, que aponta o dedo e se esquece que amanhã pode esperar pela segunda chance que um dia negou.

Boa sorte daqui para frente, sua família será à base da sua reconstrução e o bom coração que tem o fará superar essa história. O que tiver que provar faça por você mesmo, pois sua verdade será eternamente a única que terá importância.

Leia mais...Elogiar o diretor de futebol e agora também vice-presidente executivo do Atlético, Adson Batista, é quase chover no molhado. É de conhecimento geral a qualidade que ele tem na montagem de equipes e, o principal, administrar tão bem um clube com poucos recursos financeiros.

O Atlético passou a ser um clube altamente organizado, um clube que tem como prioridade a responsabilidade de gestão. Uma das coisas que me impressiona no trabalho do Adson Batista é a capacidade que ele tem em saber enaltecer o clube.

Na última semana uma equipe grande do futebol brasileiro apresentou uma proposta oficial de empréstimo para tirar o meia Jorginho do Atlético, Adson Batista negociou com seu empresário e não abriu mão do jogador.

Hoje, eu diria que não é simplesmente chegar e tirar qualquer atleta do Atlético, mesmo sendo equipes de maior porte no futebol brasileiro, haveria facilmente negociação baseada na inteligência dele. O dirigente Adson Batista certamente fez a diferença e continua fazendo para o crescimento do Atlético. Inclusive como observação pessoal, o clube deveria preparar um substituto, pois ninguém é eterno.

A RENOVAÇÃO DE JORGINHO

Na última sexta-feira o Atlético confirmou através do diretor de futebol Adson Batista, que renovou o contrato do meia Jorginho até dezembro de 2019. O jogador havia recebido uma proposta do Santos por empréstimo.

Uma renovação altamente importante pela qualidade do meia, hoje um dos principais jogadores do elenco do Atlético. Jorginho além de ter renovado o seu contrato que iria até dezembro deste ano, ganhou uma boa valorização financeira e teve sua multa mantida.

Para qualquer clube tirar o meia Jorginho do Atlético primeiramente vai precisar ter o valor mínimo de 40 milhões de reais. Este é o valor da multa para o futebol nacional, e para o exterior a multa ultrapassa os 20 milhões de dólares.

Parabéns ao Adson Batista que além de recusar uma proposta do Santos, ainda soube negociar um contrato de renovação com um grande jogador como o meio-campista Jorginho.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757